Metrô: O queridinho da Barra!

0
82

O Metrô passa operar plenamente e Linha 4 muda a vida de toda a região

Por Cláudio Magnavita

Foi um sábado memorável para a história da Barra. A inauguração oficial da linha 4 do metrô no dia 30 de julho de 2016, teve dois passageiros muitos especiais que representaram as lideranças comunitárias da Barra: Delair Dumbrosck, presidente  da Câmara Comunitária da Barra e Luiz Igrejas, presidente da Associação dos Moradores do Jardim Oceânico.

Na véspera, os dois receberam um telefonema do gabinete do Governador com um convite pessoal do Governador Pezão.

Entre os quase 200 convidados, que incluíram autoridades, jornalistas e equipes de segurança, Delair e Igrejas representavam mais de duas décadas de luta. Um sonho impossível que virava realidade e que, agora em 13 minutos, fez a ligação entre Ipanema e a Barra.

Em 94, a Câmara Comunitária lançou um adesivo que dizia: BARRA METRO 2000! A Câmara foi também testemunha do leilão da concessão, realizado em 28 de dezembro de 1998. Não é difícil imaginar a emoção destes dois convidados que esperaram mais de duas décadas pela festa de inauguração.

As lideranças da Barra tiveram também um papel importante para manter vivo o projeto do Metrô. O Governador Garotinho tentou anular o leilão e os líderes da Barra foram até o Tribunal de Contas do Estado para lutar por sua realização.

Uma pesquisa da Câmara Comunitária da Barra previa uma redução de 20 a 25% do custo do transporte coletivo bancado pelos condomínios, que mantêm suas próprias ligações com a Zona Sul. O investimento deveria ser feito reforçando as ligações até a estação do metro. Na pratica, falta aos grandes condomínios canalizarem os transportes próprios para atender a demanda de deslocamento até o metrô. A criação de verdadeiros shuttle, com várias frequências Condomínio/Metrô/Condomínio, por tradição as rotas para a zona sul e para o centro ainda não foram reduzidas. A estimativa é que cada apartamento pague uma média de R$ 200,00 mensais para manter estes serviços, criados quando o metrô ainda estava no papel, e para atender a deficiência do transporte coletivo que servia o bairro.

O metrô vem mudando os hábitos dos moradores da região. Para economizar tempo, tem sido a opção para empresários e executivos que conseguem se deslocar da Barra ao Centro do Rio e retornar a tempo de ter uma agenda novamente na nossa região, coisa impensável sobre 4 rodas.

O presidente da Associação de Hotéis do Rio, Alfredo Lopes é um grande entusiasta do Metrô “eu, pessoalmente, tenho utilizado várias vezes por semana. Já sai da Barra para uma reunião na zona sul, voltei para um almoço de negócios, trabalhei e no final da tarde fui para outro compromisso na zona sul. Isso seria impossível sem o metrô”.

Lopes destaca também a importância do MetrôRio para os hotéis da Barra. “Possuímos hoje um parque hoteleiro com 12 mil quartos. Os clientes descobriram que, hospedados na Barra, podem acessar as atrações da zona sul. Já há hotéis que oferecem ligações de van até a estação Jardim Oceanico diversas vezes por dia” afirma o presidente da Associação de Hotéis que preside também o Rio Convention & Visit Bureau. O executivo paulista Patrick Bertholdo, que vive na ponte aérea São Paulo/Barra/São Paulo destaca a comodidade e rapidez da integração de sistemas. “Já peguei a Ponte aérea e entre o voo e o deslocamento foi inacreditável. Duas horas depois de ter saído de São Paulo, eu já estava na Barra. Desci do avião, peguei um VLT até a Cinelândia, um metrô na linha 4 e depois a van do Hotel”. Bertholdo ainda se surpreende “a Barra ficou mais próxima do centro do Rio e até de São Paulo”.

Os organizadores do Rock Rio apostam no metrô para repetir, no Parque Olímpico, o sucesso do acesso que teve integração Metrô/BRT e escolheu várias estações para números musicais, nas duas semanas que antecederam a abertura da venda dos ingressos.

No primeiro dia de abril, o vocalista Jorge Ailton, com a participação especial do baterista Marcelo Vig, surpreendia os passageiros da Estação Jardim Oceânico com pequenos shows que mostravam que o Rock in Rio estava chegando. “Dezenas de músicos foram contratados para estes shows. Sempre com musicas de grupos que já tocaram no Rock In Rio. Foi o maior movimento musical já ocorrido com músicos locais da cidade” falou Jorge Ailton ao Jornal da Barra.

Toda a campanha do Rock in Rio tem direcionado o público para o uso do metrô como melhor meio de acesso à cidade do Rock. Durante o festival, o MetrôRio vai funcionar de forma ininterrupta. A linha 4 trará um conforto maior aos usuários do maior festival de Rock no Planeta, que nasceu na Barra e que hoje é uma marca reconhecida internacionalmente. O Metrô mudou até vida até do Rock in Rio.