Saque do FGTS movimenta mercado de pequenas franquias

0
62
Saque do FGTS movimenta mercado de pequenas franquias

A liberação do saque de contas inativas do FGTS movimenta o mercado de nano franquias (investimento até R$ 25 mil) e microfranquias (investimento até R$ 80 mil).
Marcas dos segmentos de cupons de desconto, cursos profissionalizantes, bijuterias e serviços de limpeza, entre outras, realizam ações de marketing e oferecem vantagens
para atrair franqueados.

Sempre vale lembrar que a receita mensal costuma ser proporcional ao montante investido. Portanto, negócios que demandam pouco investimento não proporcionam alta lucratividade

A jovem Rafaela Sampaio, de 28 anos, está animada com a receita extra. Ela vai usar os recursos de sua conta inativa do FGTS para formar estoque de produtos Francisca Joias e se tornar uma revendedora. “Planejo obter lucro de 40% a 50%.”

Diretor executivo da franqueadora de serviços de limpeza JANPRO no Brasil, Renato Ticoulat conta que a demanda cresceu 30% desde o anúncio feito pelo governo. “Antes, recebíamos entre 30 e 40 candidatos por mês. Agora, a média mensal passou para 120 interessados”, afirma.

Jornalista desempregada há um mês, Pamela Nunes vai investir no segmento de limpeza comercial. “Vou juntar o dinheiro que já saquei da conta inativa do FGTS com a verba que estou para receber da homologação da rescisão de meu contrato de trabalho, e
comprar uma unidade JAN-PRO.”

Pamela já pensava em ter negócio próprio há algum tempo. “Com a liberação do FGTS e a questão de estar sem trabalho, tive tempo para pensar com calma sobre o assunto. Decidi que chegou o momento. Optei por ser franqueada, porque é um modelo testado
que oferece menos risco, e posso começar com investimento baixo e crescer aos poucos.”

Ticoulat afirma que o diferencial da marca é garantir o primeiro contrato. “Temos 19 planos de franquia. O primeiro, custa R$ 7,5 mil e último R$ 118 mil. A maioria investe R$ 20 mil. Nessa faixa, o primeiro contrato é de R$ 6.250,00 mil por mês. Se a pessoa contratar apenas um funcionário e colocar a mão na massa, pode tirar perto de R$ 5 mil por mês”, diz Ticoulat. A marca tem 230 franqueados e atende 894 clientes.

Com 180 franqueados distribuídos pelo Brasil, a rede PremiaPão, que comercializa publicidade impressa em saco de pão, iniciou campanha para divulgar o parcelamento da taxa de franquia. Com a ação, espera atrair pessoas que terão acesso ao saldo da conta inativa do FGTS. Até agora, já obteve aumento de 25% no número de interessados.

“O comprador dá entrada de 50% e o restante pode ser quitado com o resgate do FGTS,num prazo de 30 dias”, conta o diretor comercial e de expansão, Diego Castro. Para cidades com até 100 mil habitantes, o preço é R$ 6 mil. Com até 200 mil habitantes a taxa custa R$ 10 mil. Em municípios com 300 mil habitantes o custo é R$ 14 mil.

Segundo ele, o franqueado recebe kit digital com a assinatura profissional no e-mail,
material gráfico de apresentação comercial e modelos de contrato. “Além disso, recebe kit com cartões de visita personalizados, panfletos promocionais, adesivos, folders, sacos impressos de amostra,  entre outros itens, e treinamento completo realizado por meio de plataforma online da PremiaPão University.”

Administrador de empresas, Denison Abdias dos Santos trabalha como gerente de planejamento financeiro e vai fechar negócio com a PremiaPão no próximo dia 10, data em que poderá sacar o saldo de sua conta inativa do FGTS.

“Há algum tempo desejava ter uma operação que possibilitasse somar o perfil profissional de Juliana, minha mulher, que é boa em vendas, com o meu, de planejamento, gestão e estratégia, mas não tínhamos renda extra para investir. Vamos usar o FGTS para pagar a taxa de franquia e usar o restante como capital de giro. Vamos iniciar novo ciclo em nossa família.”