Entrevista exclusiva com Marcelo Alves, Presidente da Riotur

119

O novo presidente da Riotur é o primeiro membro do primeiro escalão municipal a ocupar a Cidade das Artes. A decisão de Marcelo Alves de dar uma sede digna para a gestão do turismo trouxe para a Barra o centro de comando da gestão de uma atividade que é prioritária para a economia da cidade.É o primeiro órgão municipal a deixar o centro e vir para a zona oeste. A Cidade das Artes, ou melhor a nova Cidade do Turismo não será mais a mesma após a chegada da Riotur, vai finalmente funcionar a todo vapor.

Jornal da Barra: Inicialmente eu gostaria de falar sobre a Barra da Tijuca. Você tem um grande anúncio, que é a transformação da Barra na capital de turismo carioca, trazendo a Riotur pra região. Fale sobre essa mudança.

Marcelo: Primeiramente um abraço a você e seus leitores. Temos o privilégio de falar um pouco sobre nosso trabalho, nossa história, e sobre as mudanças na Riotur. A mudança para a Barra é estratégica e necessária. Estratégica pela questão de marketing que estamos focados em fazer para o Rio de Janeiro, com a intenção de colocá-lo na “vitrine mundial de modo positivo. E necessária porque, hoje, a Riotur está instalada em um local que não condiz com o que o Rio de Janeiro precisa e merece quanto à imagem, as instalações estão muito precárias. Logo no primeiro dia de gestão da Riotur, minha primeira decisão foi ir para à Barra, mas “por que a Barra?” A Barra hoje é um grande polo de entretenimento, com grandes instalações hoteleiras e grande legado olímpico. Todas essas questões fazem com que demos mais atenção para a Barra no turismo, com esse polo fantástico, moderno e atual que é a região. Já começamos a mudar para dar mais conforto e modernidade a todos que nos visitam. Além de gerar modernidade para quem trabalha na Riotur, nós precisamos estar cada vez mais incentivados para que o Rio de Janeiro cresça constantemente.

Jornal da Barra: Sobre as instalações na Cidade das Artes, é um equipamento “central” para o turismo e a vida cultural na Barra…

Marcelo: Nós estamos completamente alinhados à Secretaria de Cultura, que nos abraçou com muito carinho. São 2.500m prontos, com instalações modernas para que possamos instalar todos nossos funcionários, e fundamentalmente receber quem nos visita de forma profissional.

Jornal da Barra: A troca de comando no turismo se deu em pleno vapor. Você assume, já com responsabilidade do réveillon e, na sequência, o carnaval, que foi bem próximo dessa transição. Como foi assumir e ter que mostrar serviços de forma imediata?

Marcelo: Foi uma missão fantástica. Desde o primeiro dia o prefeito Crivella também deu total apoio à nossa missão. No carnaval, colhemos um ótimo fruto; este ano tivemos o carnaval recorde, de grande receita para a cidade – foram mais de 3 bilhões – com número recorde de foliões. Foi uma missão, mas uma missão muito bem cumprida.

Jornal da Barra: Você tem o privilégio de o prefeito, vice-prefeito, e você serem moradores da Barra. Como você vê essa mudança de eixo e essa percepção da Barra a partir de moradores que vivem aqui? A Barra da Tijuca é diferente de quem visita, para quem vive?

Marcelo: Eu sou suspeito porque moro na Barra há mais de 20 anos e sou apaixonado pela região, mas nós vemos muito além. Para nós, é  fundamental estarmos nesse polo, que hoje só tem crescido, mas também enxergamos todos os bairros da cidade. Queremos fazer com que as virtudes de cada bairro sejam, para o turismo, expostas. Mostrar o que há em Bangu, Santa Cruz, Madureira. Em breve, começaremos uma campanha focada em ‘Meu Bairro Encanta’, com a finalidade de fazer o turista conhecer os bairros da cidade, e não apenas a capital.

Jornal da Barra: Ainda sobre a Barra da Tijuca; no seu roteiro, o que você acha que deve ser mostrado turisticamente?

Marcelo: Desde as praias maravilhosas até às construções ecológicas, trilhas, Lagoa de Marapendi, os restaurantes e shopping fantásticos… Tudo é fantástico na Barra. Então, é necessário que a região seja comunicada com muito mais ênfase para que o turista conheça a cidade, desde o verde das serras até o mar. Além da questão da mobilidade e dos shoppings.

Jornal da Barra: E o que dizer sobre o polo hoteleiro na Barra da Tijuca?

Marcelo: Maravilhoso! Nós temos, hoje, as principais redes hoteleiras na Barra, prontas para receber todos os turistas que venham para o Rio de Janeiro. Temos todos os tipos de valores para todos os tipos de turistas. A Barra está preparada para todos.

Jornal da Barra: Como tem sido a administração do Crivella? E o turismo na gestão dele?

Marcelo: O prefeito Crivella assumiu há 4 meses, com o desafio de cuidar das pessoas e tem feito isso com muita propriedade. Vem focando, fundamentalmente, em questões de saúde e educação, tem mostrado e gerado resultados mesmo em pouco tempo. Assumimos uma prefeitura com um déficit muito grande, então nos encarregamos disso com muita preocupação. Mas, o prefeito Crivella, com muita precaução, vai fazer com o que o Rio cresça ainda mais; e o turismo é a bola da vez, para que geremos, imediatamente, empregos e receita para cidade, para que ela possa ser reinvestida em melhorias para a população.

Jornal da Barra: O metrô lançou, a partir da linha 4, um ticket para o turismo. Ou seja, o turista poderá usar de forma contínua e ilimitada durante sua permanecia na cidade. Isso é importante para que o turista descubra a cidade? Especialmente a Barra?

Marcelo: Sem sombra de dúvidas, os números já comprovam isso. A Barra tem sido cada vez mais descoberta. É possível ver, nos finais de semana, um número de frequentadores muito maior desembarcando nas praias próximas aos pontos do metrô. É, sem dúvidas, um meio fantástico e que precisamos valorizar, comunicar, para que a Barra seja ainda mais visitada, e o metrô é excepcional.

Jornal da Barra: Qual é a importância do Rock in Rio?

Marcelo: É o principal evento de música do mundo e, para nossa felicidade, é sediado na Barra da Tijuca. Teremos, em setembro, essa reunião de jovens e turistas que vêm para curtir os grandes nomes da música mundial aqui, do nosso lado. Sempre falo com o Roberto Medina que deveríamos ter Rock in Rio todos os anos. É uma questão que ele precisa abraçar com mais vontade.

Jornal da Barra: O Medina, junto com Paulo Protasio e Ricardo Amaral, fazem parte de um conselho que tem criado um calendário de eventos para a cidade. Que calendário vai ser esse e como você vê a implantação disso? 

Marcelo: O Conselho é formado por Boni, Ricardo Amaral, Roberto Medina, Paulo Protasio e eu. São nomes de extremo sucesso em suas áreas e que pensam grande para a cidade, de uma forma precisa. Queremos fazer com que nos tornemos uma capital para o entretenimento. São nomes que estão pensando, diariamente, em eventos segmentados na gastronomia, na arte, na moda, no cinema, no esporte, que vai, enfim, ocupar o ano inteiro.

Jornal da Barra: Quando esses planos saem do papel?

Marcelo: Saem do papel a partir de junho. Em Junho, iremos revelar à mídia, à imprensa, ao carioca… Esse calendário está sendo preparado para que, de fato, o Rio de Janeiro seja o Rio de janeiro a janeiro.

Jornal da Barra: Nós temos uma sequência de feriados prolongados, e o calendário vai proporcionar isso em 2017. O que a Riotur tem feito para otimizar a vida dos turistas nesses feriados?

Marcelo: Começamos uma campanha na semana passada aproveitando o tema das hashtags #vemprorio e #feriadoenorio. No próximo feriado, 1º de maio, já estamos focados nas redes sociais com uma grande campanha para fazer com que o destino no feriado seja o Rio de Janeiro. Além do mais, há hotéis disponíveis para todos os gostos e preços.

Jornal da Barra: Como está a relação da Riotur com o RioCentro?

Marcelo: Está indo muito bem. Me comunico muito com Arthur Repsold sobre condições de trazer congressos, convenções, e também com a Rio Convention Bureau. Nós depositamos muito nessa parceria para que juntos façamos do Rio de Janeiro um polo de grandes eventos nas áreas de congressos, convenções e feiras.

Jornal da Barra: Como está a relação da Riotur com a Embratur e o Ministério de Turismo?

Marcelo: Muito bem! Vinicius Lummertz e Marx Beltrão, nosso ministro, têm nos recebido muito bem, olhando para o Rio de Janeiro com muito carinho. Teremos uma agenda, a partir de semana que vem, para que possamos construir projetos para o Rio de Janeiro.

Jornal da Barra: Falando de Antonio Pedro, como foi o processo de transição na Riotur?

Marcelo: Estivemos juntos algumas vezes, Antonio Pedro foi muito generoso e gentil nessa transição. Entregou a Riotur equipada, realmente preparada para que déssemos continuidade.

Jornal da Barra: Agora, Marcelo, o que representa, para um profissional de marketing, a chance de fazer o marketing e cuidar da imagem de sua cidade?

Marcelo: É uma missão. Quando o prefeito me convidou para assumir a Riotur, tive de “deixar” minha empresa por 4 anos, e aceitei com muito prazer. Foi uma missão e um privilégio para mim, que sempre trabalhei com construção de marcas, trabalhar com uma grande marca, senão a maior, que é o Rio de Janeiro. Para mim é um prestígio fazer com que a Riotur seja, de fato, uma agência fomentadora e uma agencia de comunicação para vender o Rio de Janeiro para o Brasil e para o mundo. É uma grande tarefa.

Jornal da Barra: Você tem a responsabilidade de tocar também a Rio Eventos. Como anda essa fusão Riotur e Rio Eventos?

Marcelo: A Riotur é focada em turismo. Quando assumimos já havia uma postura, temos que operar no turismo da cidade, e não mais operar eventos. Quem irá operá- los é a Rio Eventos, que tem tal papel; agregar aos produtores na questão de legalização, de apoio, em benefícios. Fazer com que os produtores e grandes realizadores de eventos entendam que o Rio de Janeiro é seu palco, sua vitrine, para que possamos não receber apenas grandes eventos, mas também grandes marcas, já que é o papel da Rio Eventos.

Jornal da Barra: O que você pode revelar em relação à Barra da Tijuca para os próximos meses?

Marcelo: A Barra da Tijuca, em função desse legado, tem instalações fantásticas e nós precisamos dar vida a isso. Estamos muito atentos ao Parque Olímpico, que tem instalações para esportes e eventos grandiosos, mas também pode dar vida ao que temos aos finais de semana. Já está na mesa do prefeito para aprovação, para que ele possa nos oferecer, todos os finais de semana, vida, atividade, recreação, arte, no Parque Olímpico.

Jornal da Barra: O Natal vai ser especial para a Barra da Tijuca. O que você pode adiantar em relação ao evento?

Marcelo: Já estamos recebendo algumas ideias e alguns projetos fantásticos, tem um incrível de iluminação. O que queremos é fazer com que a Barra, assim como Copacabana, faça parte do roteiro de réveillon da cidade. Abriremos então, no mês que vem, um caderno
de encargos para que as empresas e marcas nos ofereçam ideias para que possamos evoluir.

Jornal da Barra: A crise econômica levou à uma retração muito forte da participação e patrocínio empresarial. Como tem sido o planejamento disso e, sobretudo, contar com recursos próprios? O prefeito tem dado condições para que isso ocorra?

Marcelo: Sem dúvidas! O prefeito está muito atento, porque ele percebe que não é custo, é investimento. Ele entende que investir no turismo gera resultados imediatos no impacto econômico da cidade, na cadeia produtiva, e fundamentalmente na geração de empregos. Eu venho do marketing, sou apaixonado pelo marketing, e não tenho duvidas de que marcas querem estar no Rio de Janeiro. O Rio é vitrine para o Brasil e para o mundo. A intenção é trabalhar, fazer com que a cidade seja vista positivamente no mundo e gere resultados positivos também para as marcas.

Jornal da Barra: Quando o Crivella completou 100 dias na prefeitura falou, por um bom tempo, na Cidade das Artes, sobre turismo. Esteve presente, também, o CEO do Fórum Mundial de Turismo. Seria importante ter um gestor municipal que tenha o entendimento da importância do turismo? Como você vê, nos bastidores, a perspectiva do Marcelo Crivella com relação a essa atividade do turismo no exterior?

Marcelo: O prefeito Crivella é um grande viajante, conhece o mundo, sabe da importância econômica que o turismo gera para a cidade. E o  Rio de Janeiro tem essa vocação; fomos abençoados pela beleza natural, pelo legado olímpico, mas também é preciso trabalho. Não adianta termos isso tudo se não comunicarmos, se não fizermos com que o Brasil seja prioridade no seu destino de viagem; e isso é feito com muito marketing, muita comunicação, muita campanha publicitária, para que de fato o Rio volte para à vitrine. Dessa forma nós vamos, sem dúvidas, nos tornar uma das grandes potencias do turismo.

Jornal da Barra: Muito obrigado pela entrevista, Marcelo. Gostaria de finaliza-la com um ping-pong dando nomes ligados à Barra da Tijuca. Começando com Carlos Carvalho.

Marcelo: O maior empresário que nós temos, um grande incentivador do nosso mercado, do nosso Rio de Janeiro. Sem dúvida, um visionário. É um profissional que o Brasil realmente precisava. Deveria haver mais Carlos Carvalhos.

Jornal da Barra: Alfredo Lopes Marcelo:

Marcelo: Um ótimo profissional. Defende, vive, respira o turismo diariamente. É um grande parceiro apoiador das nossas iniciativas.

Jornal da Barra: José Isaac Peres Marcelo:

Marcelo: Outro grande empresário, incentivador, empreendedor, que realmente investiu na Barra, tanto que tem o principal shopping da América Latina. Precisamos de mais José Isaac Peres também.

Jornal da Barra: Marcelo, e o Jornal da Barra, agora que estamos
em uma nova fase?

Marcelo: Estava realmente faltando um veículo que falasse diretamente com o morador da Barra, com as marcas da Barra, marcas nacionais. Eu quero parabeniza-lo pela inciativa de abraçar o Jornal da Barra, abraçar o morador da região, e conte conosco. A Riotur espera poder agregar para que, através do seu veículo, faça com que o turista e o morador da Barra descubra ainda mais as características e as belezas da região.

Jornal da Barra: Finalizando, uma palavra final sua para quem, sobretudo, tem o Rio de Janeiro como prioridade e investe no setor do turismo.

Marcelo: A frase que quero deixar a todos é: “somos cariocas”. O carioca é encantador, o carioca é audacioso, o carioca é charmoso, tudo que o carioca faz, reverbera de forma muito positiva. Nós precisamos, de fato, voltar a ter desejo de ser carioca. Nossa
missão é fazer o carioca gritar, com orgulho: “Sou carioca”.

COMPARTILHAR