Pin It

A ONG Favela Mundo vem transformando vidas pela cidade. Sempre engajando culturalmente as comunidades, a novidade da Organização é o projeto 'A Arte Gerando Renda', que vai dar a oportunidade para 300 moradores da Rocinha terem novas profissões.

As inscrições já estão abertas para as oficinas profissionalizantes gratuitas, que têm foco no Carnaval 2020. As opções são: Fantasias e Adereços, Maquiagem Social, Maquiagem Artística, Unhas Decoradas, Artesanato, além de Turbantes e Tranças Afro. O projeto tem patrocínio de Eudora, Kasznar Leonardos e apoio do Instituto Grupo Boticário.

Os cursos serão divididos em dois módulos: um de março a maio e o segundo de maio a julho, com 150 vagas para cada um deles. Para participar basta ter mais de 15 anos, sem limite de idade, e comparecer ao CRAS Rinaldo de Lamare, na Avenida Niemeyer 776, 8º Andar, a partir de hoje (11 de fevereiro), das 13h30 às 17h30.

"As aulas do projeto iniciarão na semana seguinte, logo após o Carnaval, justamente para capacitar os alunos e prepará-los para o carnaval de 2020. A movimentação das escolas de samba é o ano inteiro. O mercado de trabalho nessa área não para, e a falta de mão de obra qualificada é grande. Um de nossos principais objetivos é justamente qualificar as pessoas que sonham em trabalhar na folia. Entre nossos professores temos um carnavalesco e maquiadores renomados que fazem as comissões de frente, alas e destaques das agremiações. O aluno aprende com quem está diretamente envolvido na maior festa de nosso país”, aponta Marcello Andriotti, diretor da ONG Favela Mundo, que faz a gestão do projeto.

O Projeto A Arte Gerando Renda – indicado ao Prêmio Marketing Best de Sustentabilidade 2015 – foi criado para gerar oportunidades para moradores de favelas que têm acesso a escolas de samba e muita vontade de trabalhar com arte, mas não possuem conhecimentos básicos para exercerem funções nas agremiações ou até mesmo para ingressar no mercado de trabalho, em salões de beleza. Cada curso têm a duração de dez semanas, com aulas semanais. Ao final, os participantes são certificados e podem estagiar em barracões de escolas de samba ou em produções teatrais. Os formandos de 2017, tiveram a oportunidade de trabalhar nos desfiles da Mangueira, Salgueiro e Beija-flor em 2018.