Fone: (21) 2042-2955 -  redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

Formada por ex-integrantes do cenário de rock em Jacarepaguá, A banda Benin usa a união dos elementos de estilos musicais relacionados ao post-hardcore, para conseguir uma melodia diversificada, com a harmonização entre a agressividade e o emocional. Esse flerte entre calmaria e a intensidade nasce através da voz e do peso de baixo do Luiz Felipe Fabris, da bateria de Rômulo Simões, e da sintonia entre as guitarras de Fabiano Dias e Rodrigo Salgado, embora esse encaixe tenha surgido muito tempo através das melodias de Andrei Aguiar, que era o antigo guitarrista. Os músicos já estão há pelo menos dez anos no cenário musical, apesar da banda ter apenas dois anos.

Felipe conta que Benin nasceu após sua saída da, “Menores atos”, antiga banda em que tocava, por conta da divergência de ideias entre integrantes, porém antes de ir ele comunicou a Rodrigo, antigo membro do grupo e atual guitarrista deste novo projeto: “quando expliquei toda situação, ele veio e conversou comigo: ‘cara, tua decisão tá tomada, ok! Mas você não vai conseguir parar de tocar, vamos montar uma banda juntos? Toco contigo de boa!’, depois disso convidamos uma nova galera para tocar, e surgiu a Benin”.

O grupo carrega consigo a vontade de sair do “mais do mesmo” e apresentar algo novo, criativo, expressando o sentimento de seus integrantes: “desde muito moleque sempre quis ter uma banda para contar o que sinto, sem pudor ou freios. A maioria das pessoas envolvidas no show-business da música no Brasil apostam em artistas que trazem o dito ‘mais do mesmo’. É uma cantora que lembra outra cantora, uma banda que lembra outra banda... falta novidade! Sabe o que é mais incrível nisso tudo? Me faltam dedos nas mãos e nos pés suficientes para contar quantas bandas e artistas promissores existem no país e não tem projeção ou o espaço que merecem”, afirma Felipe.

Benin trabalha com composições autorais nos repertórios de seus shows, como a música “Pulso firme”, que tem boa resposta do público, contudo os integrantes usam de covers para apresentar aos fãs, algumas bandas em que usam de inspiração para seu estilo. O vocalista alega que esse cenário do rock nacional em que eles trilham tem crescido bastante, porém, o que mais os inspira a seguir nesse caminho é o público em que os acompanha:  “vejo que os produtores estão fazendo do ‘underground’, um nicho de mercado, e isso é ótimo! Principalmente para as bandas que estão surgindo, mas acho que a vontade de fazer música e o incentivo do público, sempre serão nosso principal combustível!”.

A Benin com pouco tempo de estrada tem colecionado muitas histórias, mas os integrantes acreditam que a sensação de estarem conquistando o espaço e carinho através da música é a melhor de todas: “ainda somos uma banda nova e público se constrói aos poucos. Temos consciência disso e estamos curtindo essa conquista. Espero que possamos agregar mais pessoas interessadas em compartilhar conosco essa experiência maravilhosa que é dividir sensações que a música propaga”, expressa Felipe.

Atualmente a maior plataforma de divulgação de seus trabalhos é a internet, os álbuns da banda estão disponíveis em todas as plataformas digitais como Youtube, Spotify, Deezer e Apple Music. Você também pode encontrar os trabalhos da Benin através da página no Facebook: facebook.com/beninrock, e no Instragram: @benin_rock.