A Policia Federal realiza uma operação na manhã desta quinta-feira (8/11) para prender 10 deputados estaduais do Rio de Janeiro. Intitulada de operação ‘Furna da Onça’ busca, ao todo, 22 mandados de prisão e 47 e busca e apreensão, com o objetivo de investigar “a participação de deputados estaduais do Rio de Janeiro em esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada em órgãos da administração estadual”, segundo a própria PF.

Esta é a segunda fase da operação ‘Cadeia Velha’, que começou em novembro de 2017, quando foram presos o presidente da Alerj, Jorge Picciani, e os deputados estaduais Edson Albertassi e Paulo Melo, todos do MDB. Eles também são alvos de novos mandados de prisão nesta quita, mesmo que Albertassi e Melo já estejam detidos em Bangu, enquanto Picciani cumpre prisão domiciliar.

Além do trio, os outros sete deputados alvos da operação são: André Corrêa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC), Coronel Jairo (SD), Luiz Martins (PDT), Marcelo Simão (PP), Marcos Abrahão (Avante) e Marcos Vinícius Neskau (PTB). Mandados de prisão contra o secretário estadual de Governo, Afonso Monnerat, o presidente do Detran-RJ, Leonardo Jacob, e o ex-presidente do órgão, o deputado federal eleito Vinícius Farah (MDB-RJ) também foram expedidos.

As prisões, entretanto, são em caráter temporário, por um período inicial de cinco dias, com exceção dos já presos Picciani, Melo e Albertassi. São 200 policiais federais, 35 membros do MPF e dez auditores da Receita Federal cumprindo os mandados. Por envolver deputados estaduais, quem autorizou a ação foi o Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2).
Parlamentares alvos nesta quinta foram candidatos nas eleições 2018

Todos os deputados alvos da operação disputaram um novo mandato nas urnas no último dia 7, com exceção dos três que já estavam presos. Desses, cinco (Corrêa, Chiquinho, Martins, Abrahão e Neskau) foram reeleitos. Coronel Jairo e Marcelo Simão perderam as eleições.