0
0
0
s2smodern

A Associação Comunitária Bairro Seguro (ACBS) divulgou nesta segunda-feira (25), um levantamento realizado pela equipe da Central de Monitoramento da Barra durante o Rock In Rio. Não aparecem no balanço ocorrências graves ou registros de situações que tenham oferecido risco aos participantes. Furtos de carteiras e celulares, além da ação de cambistas, foram os principais transtornos registrados nas delegacias locais. 
Para o presidente da ACBS, Alfredo Lopes, a articulação eficiente do sistema de segurança do festival com as forças de segurança evitou maiores problemas. Ele também comemora que o sistema de transporte por Metrô + BRT tenha sido eficiente e passado no teste dos turistas, já que trata-se de um importante legado Olímpico. “A infraestrutura, o transporte e a organização tiveram um excelente desempenho. As ocorrências estão dentro da normalidade de qualquer grande festival em uma metrópole. Felizmente a situação Rocinha não causou maior da impacto neste evento e na rotina dos visitantes.  Tivemos ocupação superior a 80% nos dois fins de semana do festival, com bairros registrando 90% dos quartos ocupados. O festival reuniu cerca de 700 mil pessoas, mais da metade de fora do Rio, então só temos a comemorar”, declarou Alfredo Lopes.