0
0
0
s2smodern

A Associação Comercial da Barra da Tijuca (AciBarra), em parceria com o Barra Prime Office, realizou no dia 28 de agosto um café da manhã e um debate para receber o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC). Estiveram presentes na mesa, além de Bolsonaro e Ney Suassuna, presidente da AciBarra, Ricardo Magalhães, presidente do Conselho Comunitário de Segurança, e Marcus Neves, delegado da 16 DP.

Natural de Campinas (SP), Bolsonaro está no sétimo mandato como deputado federal pela bancada fluminense. Na última eleição, em 2014, recebeu 464.565 votos, algo correspondente a 6% dos eleitores do Rio de Janeiro, tornando-se o parlamentar mais votado do Estado.

Bolsonaro se elegeu pelo Partido Progressista (PP), mas trocou de legenda no meio do mandato, se filiando ao Partido Social Cristão (PSC), do qual toda sua família é membro. Seus filhos Carlos e Flávio são, respectivamente, vereador e deputado estadual no Rio de Janeiro, e Eduardo é deputado federal por São Paulo.  

Pessoa que fala aquilo que o povo quer ouvir e não aquilo que deve ouvir, Bolsonaro foi muito crítico ao governo Lula e Dilma no encontro. Para ele, o PT vendeu o Brasil para a China.

- A China dominou Angola, assim como dominou o Brasil. Temos que nos aliar novamente com os Estados Unidos e com os países bélicos, ou então não vamos sobreviver. Não temos como comprar cartucho 762. Ou seja, o pessoal do morro tem material mais poderoso que o pessoal do exército. Então, daqui a pouco, vamos ter que aprender a falar mandarim nos colégios e não mais inglês – disse o político.

Reforçando seu lado crítico ao governo petista, Bolsonaro fez análises do atual momento de emprego, com o programa Bolsa Família.

- Segundo dados, ¼ da população do Brasil vive do Bolsa Família e, se somarmos com os índices de desempregados, teremos algo próximo de 40 milhões de pessoas sem trabalho. Ou seja, as pessoas não trabalham para receber benesses. Isso sem falar que tem vereador recebendo Bolsa Família. Em suma, é mentira que vão criar emprego em até 20%. Como vão fazer isso tendo um programa como esse? Além disso, somos o país com mais ações trabalhistas do mundo, cerca de 4 milhões ao ano – disse. 

Sobre o tema da reforma política, foi bem enfático ao fazer a comparação do fundo partidário do atual partido (PSC), com o antigo (PP).

- Eu ainda estou no PSC, que ganha 1.6 milhões por mês de fundo partidário. No PP, ganhava quase 1 bilhão por ano. Isso sem falar das emendas, que são impositivas. 90% das minhas são para as forças armadas, principalmente para os hospitais. Vários deputados do PSOL também recebem, algo em torno de 14 ou 15 milhões. Então isso prova que algo precisa mudar, porque a missão do parlamento é produzir felicidade – afirma.

No quesito dos temas econômicos, criticou bastante o pouco aproveitamento do turismo no país.

- Se o turismo movimenta 10 bilhões no mundo e somos apenas o 44º em geração de receita com tudo que temos, tem algo de errado por ai. Temos que fazer parcerias, porque temos algo que poucos países no mundo tem, que são as riquezas naturais. A missão do Parlamento é trazer felicidade e não burocratizar. Temos que desburocratizar, porque só maluco para abrir um novo negócio no Brasil. Aqui não tem como mais fazer negócio – disse.

Encerrando sua palestra, Bolsonaro citou que a forma mais democrática que nós temos é o voto, mas que o cidadão, hoje, tem apenas dois direitos: de votar e de ser roubado.

- O que nós precisamos de políticos honestos, que falam o que a população precisa e não ouvir promessas e mais promessas – finalizou.