JORNAL DA BARRA - redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

Autoridades e especialistas se reuniram com a sociedade para um debate sobre os impactos ambientais do crescimento urbano. O encontro aconteceu na sexta-feira (19/10), no hotel Ramada Recreio, foi organizado pela Acir (Associação Comercial e Industrial do Recreio e Vargens) e apoiado pelo JORNAL DA BARRA. O evento se aprofundou sobre a intenção da prefeitura em construir um conjunto habitacional do projeto ‘Minha Casa Minha Vida’ no Recreio. Para o presidente da Acir, Alfredo Lopes, o crescimento desordenado é “uma bomba relógio”.

Segundo o arquiteto Canagé Vilhena, morador de Vargens, o plano visa apenas uma ambição eleitoral, ignorando qualquer logística ambiental: “é uma desobediência aos quesitos técnicos”, conclui. A auditora ambiental e fundadora da IEDHMA (Instituto de Estudos dos Direitos Humanos e do Meio Ambiente), Christianne Bernardo, também se posicionou contra a construção: “não há estrutura nem para o que já temos”, afirmou, para em seguida cobrar melhor comunicação entre diferentes setores, como saúde, meio ambiente e urbanismo.

Já o mestre em direito de ordenamento urbanístico e do meio ambiente e membro da Comissão de Direito Ambiental, Vinícius Monte Custodio, recomendou que o habitacional fosse construído na Zona Norte do Rio. Ele também criticou a falta de padronização na jurisdição urbanística na cidade. Para o subsecretário municipal de urbanismo, Luis Gabriel Denadai, as leis não acompanharam o processo de urbanização: “a legislação urbana vêm da década de 70”, disse, enquanto mostrava dados que colocam a Barra como o segundo maior polo de destinos de pessoas por dia, perdendo apenas para o Centro da Cidade.

Além da esfera jurídica, a parceria da população também foi cobrada pela representante da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Claudia Dantas: “pedimos que a sociedade seja fiscal como nós”. Ela também revelou uma preocupação com a poluição hídrica e disse que a Cedae não acompanha o crescimento imobiliário. Já o representante do Instituto Estadual do Meio Ambiente, Marcus Almeida Lima, ressaltou a importância da parceria com o empresariado: “temos que conciliar os interesses econômicos com os meio ambiente”.

Ao final do encontro, o apresentador do evento, Claudio Magnavita, diretor do JORNAL DA BARRA e vice-presidente da Acir, homenageou o delegado Antonio Nunes, titular da DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente), pelos serviços prestados na região. O delegado Eduardo Freitas, titular da 42ª DP, também ressaltou a parceria entre as duas delegacias: “fizemos um trabalho de polícia em um condomínio na Estrada dos Bandeirantes, onde eles estavam fazendo uma clareira. A DPMA é parceira da 42ª DP”, revelou.