Fone: (21) 2042-2955 -  redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

Cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) fizeram uma nova descoberta. Trata-se do vírus mayaro, que está em circulação no estado e é primo do vírus chicungunha. Os dois vírus provocam sintomas semelhantes, como dores intensas nas articulações e incapacidade de realizar atividades simples, que duram alguns meses.

Segundo os pesquisadores, o vírus mayaro está presente nas florestas da Amazônia, e desde 2015 há um alerta para a possibilidade dele migrar e se estabelecer nas grandes cidades, o que acabou sendo comprovado pelo estudo.

Os estudos também indicam que o mayaro pode ser transmitido tanto pelo Aedes quanto pelo pernilongo comum, o que pode intensificar uma possível epidemia.

Não existe vacina ou tratamento para o Mayaro, da mesma forma como acontece com o vírus do chicugunha, apenas os sintomas podem ser amenizados.