No último final de semana, a Barra da Tijuca foi palco de uma das maiores celebrações internacionais da internet: o Rio WebFest (RWF). Pertencente à Copa do Mundo de Web Séries, criada pelo correspondente do Jornal Liberátion, Joël Bassaget, o RWF é a rodada final do campeonato. Durante o evento realizado na Cidade das Artes, diversas séries e apresentações de todo o mundo foram premiadas pela entidade.

Fundado por Leandro Silva e Daniel Archangelo, o RWF teve seu início em 2015 e acontece uma vez por ano. O grande objetivo do festival é dar visibilidade aos criadores independentes de vídeos pela internet do Brasil no exterior, e também no próprio país. De acordo com Leandro, a escolha do Rio sediar o evento se dá pelo seu impacto global: “a cidade do Rio é internacional. É igual a Paris, por exemplo. Muitos estrangeiros que vem para cá, não vem necessariamente para o Brasil, mas especificamente vem ao Rio, que é uma marca internacional”.

Formado em Comunicação Social, Leandro fala sobre os tempos da faculdade em que conheceu seu amigo Daniel Archangelo, outro fundador do festival: “conheci o Daniel na faculdade. Apesar do meu curso ser comunicação e do Daniel ser direção teatral, ambos os cursos acontecem no mesmo prédio. Nos conhecemos fazendo curta-metragem e depois da minha formação eu queria fazer uma série para internet, por que acredito que possa fazer sucesso. Chamei o Daniel pra trabalhar junto comigo. Com os nossos vídeos postados no YouTube, não conseguimos bombar da forma que esperávamos”.

Apesar das circunstâncias adversas, a dupla conseguiu monetizar a série de uma maneira totalmente diferente que imaginou: graças aos festivais internacionais, Leandro e Daniel conseguiram vender a série para uma plataforma privada. Foi por causa do sucesso da série através de conhecimento em festivais que os dois pensaram em criar o Rio Web Fest.
Segundo Daniel Archangelo, mesmo com o final da Copa do Mundo de Web Séries, o RWF é independente, ou seja, continua com suas atividades e organizações: “existem eventos de Web que são independentes. Existem WebFests que podem não estar no WorldCup, que pode inclusive não fazer parte do circuito, mas de maneira geral, o WebFest é uma maneira de amigos produtores e criadores de um mercado se juntarem para fazerem um modelo de festival. Em cada país, é muito a maneira de como é realizada um evento”, afirma Daniel.