0
0
0
s2smodern

O 31º Batalhão de Polícia Militar deu um grande passo para aumentar ainda mais a segurança na região da Barra da Tijuca. Na última quarta-feira, dia 6, foi inaugurada a sala de Monitoramento e Análise Criminal, batizada em homenagem ao soldado Fabiano Santos Andrade e Silva, morto ao tentar impedir um assalto no Recreio.

A solenidade contou com as presenças de Alfredo Lopes, presidente da Associação Comunitária Bairro Seguro; Kléber Machado, presidente da Barralerta; Tenente-Coronel Nunes, do 41º BPM; Márcia Julião, delegada da 42ª DP; vereador Carlo Caiado (DEM); vereador Marcello Siciliano (PHS); vereador Marcelo Arar (PTB); além de personalidades públicas da região.

Alfredo Lopes destacou todas as dificuldades e empecilhos para que esta central pudesse estar hoje colaborando com a segurança da Barra, Recreio, Vargens e Jacarepaguá.

- A área de turismo estava muito sensível a isso. O Rio de Janeiro não é a cidade maravilhosa do Brasil, mas do mundo. Estava comentando que lá em São Paulo teve uma operação e mataram 10 bandidos e saiu na página policial uma nota. Aqui somos espancados diariamente com a mídia crítica, que fica exaustivamente em cima da polícia, da segurança. Isso dissolve as raízes produtivas da cidade e uma delas é o turismo, porque sem segurança não tem como ter turismo. Então, buscamos uma alternativa para ser viável, já que este projeto é muito bom, mas, ao mesmo tempo, muito caro. Buscamos a Fecomércio, mas ela não poderia dar suporte. Então, buscamos a Carvalho Hosken e a Multiplan, na época Doutor Carlos e Isaac Peres e, juntamente com a Associação de Hotéis, nós montamos essa ideia de fazer essa Central de Monitoramento. Num determinado momento, achamos que isso iria parar, por conta dessa crise financeira. Mas conseguimos dar a volta por cima e digo ser uma das centrais mais modernas do Brasil. Já estamos em conversas com hotéis da Zona Sul, como Copacabana e Santa Teresa, para que esta seja uma central do Rio de Janeiro. Acho que isso tinha que começar por aqui, porque a Barra tem uma sociedade civil muito organizada – disse Alfredo, reforçando que o Rio dará uma guinada no turismo ainda em 2017:

- Nós vamos dar nossa virada a partir de agora, com o Rock in Rio, porque, vamos apresentar ao Moreira Franco um projeto de um calendário anual de eventos, que será anunciado no último dia do Rock in Rio. Cada mês será dedicado a uma atividade, ou seja, serão temáticos. Por exemplo, setembro será o mês da música. Ano que vem não teremos o Rock in Rio, mas vamos ter o Festival Mundial da Canção. Tudo só megaeventos, ao estilo de maior do mundo e melhor do mundo. Porque é isso que o Rio merece e hoje nós temos essa estrutura. O nosso carnaval foi eleito a maior festa do mundo, a nossa rede hoteleira é a mais moderna do Brasil e a Barra da Tijuca abriga os mais novos, sendo cinco de cinco estrelas e, a nível de Brasil, não existe uma região que tenha isso. Então, essa Central é a união da iniciativa privada com o governo e espero que ela seja útil.

A Central ficará interligada com facebook e twitter das associações, com monitoramento 24h. Além disso, terá ligação com matérias e avisos, para aperfeiçoar a segurança e filtrar as informações da nossa área, que corresponde a 176 km², com 300 mil habitantes, 566 policiais militares e 18 km de orla.