0
0
0
s2sdefault

Por Gabriel Morsch

O consórcio BRT Rio tem gastado cerca de R$ 800 mil por mês na recuperação de estações no corredor Transoeste, que são alvos de atos de vandalismo. Esse é um dos motivos para que o consórcio tenha decidido interromper o serviço temporariamente. Além do vandalismo, inúmeras pessoas embarcam nos ônibus do BRT sem o pagamento necessário.

A diretora de relações institucionais do BRT Rio, Suzy Balloussier, contou que as empresas em crise não conseguem entregar integralmente a frota.