0
0
0
s2smodern

Realizada no último dia 18 de julho no Salão Atlântico do Hotel Atlântico Sul, localizado na Avenida Lúcio Costa 18.000, no Recreio dos Bandeirantes, a reunião mensal do 31º Conselho Comunitário Social apresentou uma inovação para o sistema de segurança da região da Barra da Tijuca. Um aplicativo elaborado pelo morador Leonardo Gandelman, com auxílio da Coordenadoria de Assuntos Estratégicos da PMERJ, comandada pelo Coronel Anderson Maciel.

O presidente Ricardo Magalhães iniciou o encontro com o uso da palavra, fazendo um balanço neste primeiro ano de gestão à frente do 31º CCS.

- Este mês, essa diretoria completa doze meses debatendo com vocês. Nesse período, tivemos dez reuniões, pois uma não aconteceu pelas Olimpíadas e a outra segunda pelo Natal. Temos sempre uma faixa de 100 a 110 pessoas, o que é honra. Eu fico satisfeito com a participação muito grande da comunidade. Estamos com cerca de 200 perguntas que foram apresentadas aos membros da mesa. Todas elas respondidas, algumas até mesmo recorrentes. Desde aquela ocasião da primeira reunião, eu contei aquela historia do gato que subiu no telhado para falar da situação que estávamos vivendo no Estado e na cidade do Rio de Janeiro, com relação aos parcos recursos financeiros e humanos – disse Ricardo, ressaltando como isso afeta o dia a dia da população:

- Todo mundo aqui sabe o alto preço que nós estamos pagando por cada policial que tomba, por conta de falta de recurso. Nós não merecemos isso. Eu ainda não sei que proposta podemos apresentar para diminuir isso, para que a gente tenha tranquilidade em caminhar nas ruas, sem abusar do esforço enorme que a Polícia Civil, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros faz para nos ajudar. Fica, então, esse momento de reflexão.

Presença ilustre na mesa, o advogado Agostinho Teixeira, presidente da Comissão de Assuntos Institucionais e Comunitário da OAB-RJ, enalteceu o poder da comunidade perante ao poder público.

- A presença da comunidade e de autoridades na reunião é muito importante. Policiais trabalham com muito zelo e amor pela instituição. Precisamos cobrar mais dos políticos para dar condição a eles, pois não é apenas nós que ficamos sem segurança. É mais uma família que fica desemparada – afirmou Agostinho. 

Lançamento do aplicativo “Linha Direta”

Momento máximo da reunião foi a apresentação do aplicativo “Linha Direta”, criado pelo morador Leonardo Gandelman, com parceria da Coordenadoria de Assuntos Estratégicos da PMERJ, comandada pelo Coronel Anderson Maciel.

- Segurança é mais que um direito, é uma responsabilidade de cada um de nós. O aplicativo “Linha Direta”, primeiramente, não substituirá o 190. Será um instrumento de ajuda educativa e protetiva. O telefone continuará existindo normalmente e peço a todos aqui presentes que não fazem a troca do 190 pelo aplicativo – frisou o Cel. Anderson.

Criador da ferramenta, Leonardo explicou como ela funciona. O aplicativo, inicialmente, está disponível para o sistema Android, mas ele acredita que até agosto estará nos sistemas IOS.

- O “Linha Direta” consiste da seguinte forma: você cadastra seu endereço (casa, apartamento, escritório) e pessoas que estejam próximas a este local. Importante deixar claro que não é bom cadastrar pessoas que ficam no mesmo estabelecimento. Ideal que sejam vizinhos. Acionado o sistema, você tem a disponibilidade de mandar um áudio de 10 segundos para a PM, dizendo o ocorrido. O veículo mais próximo será acionado para o local e os vizinhos cadastrados também serão alertados do ocorrido, podendo colaborar numa ajuda imediata – explicou Leonardo.

A próxima reunião do Conselho seria dia 15 de agosto (terceira terça-feira do mês). Entretanto, como o presidente Ricardo Magalhães estará ausente por motivos pessoais, ela será dia 22, também terça-feira.  

Por Marcelo Perillier