Na última terça-feira (11), 350 crianças e adolescentes, participantes do Projeto Favela Mundo da Cidade de Deus foram recepcionados pelo bom velhinho de uma nova forma: roupa vermelha, botas pretas, barbudo, negro e com dread.

Além do Noel afro, a festa contou com distribuição de livros infanto-juvenis como forma de incentivo à leitura e à educação. Muitas músicas, danças e brincadeiras também marcaram o evento. A festa marcou o fim das atividades deste ano, que retornarão em fevereiro na Cidade de Deus e na Rocinha.

“Sabemos que muitas crianças negras não se sentem representadas na mídia tradicional, e quando estão, geralmente estão em posições de subserviência. Nosso objetivo foi mostrar que o Papai Noel pode ser negro, isso é óbvio, ainda mais em um país miscigenado como o nosso”, aponta Marcello Andriotti, fundador da ONG Favela Mundo, homônima ao projeto.

Durante o mês de novembro artistas, escritores e admiradores do projeto doaram livros que serão presentados as crianças. Foram arrecadados cerca de 1.300 exemplares, o excedente será doado para outras instituições e bibliotecas públicas.

O projeto Favela Mundo conta com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, LAMSA e MetrôRio, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura - Lei do ISS e apoio do Instituto Invepar.

Fundada em setembro de 2010, a Favela Mundo passou por 11 comunidades e beneficiou 5.387 crianças e jovens. A ONG tem em seu currículo o reconhecimento de “Modelo de Inclusão Social nas Grandes Cidades”, concedido pela ONU em 2014, no World Cities Day, em Nova York, além de representar nosso país em outros eventos nos Estados Unidos, Canadá, México, Cuba e Marrocos.