Fone: (21) 2042-2955 -  redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

Por: Guilherme Cosenza

O JORNAL DA BARRA esteve presente no XVII Fórum do Meio Ambiente realizado no Hotel Ramadá no Recreio dos Bandeirantes. O evento que acontece todos os anos trouxe entusiastas e amantes do assunto para dentro do fórum que discutiu diversas questões como o descarte de resíduos, os cuidados com água, adoção de áreas públicas, entre diversos outros assuntos pertinentes ao cuidado com a natureza da nossa região.

À frente da mesa de debates estiveram o jornalista e proprietário do JORNAL DA BARRA, Cláudio Magnavita e o curador da ACIR e diretor da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, Luiz Edmundo. Entre as autoridades presentes, o presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes, Secretário Municipal de Meio Ambiente, Bernardo Egas, o deputado estadual, Carlo Caiado, o Superintendente da Barra Sancler Mello, Fernando Rosário, presidente do Parques e Jardins e o presidente da COMLURB, Paulo Manhueira.

“A importância de um evento como esse não é só municipal. Ela é também estadual e federal. É uma conscientização que nasce de baixo para cima, porque não adianta criarem-se leis que proíbem ou liberem algo, se você não tiver a sociedade civil ao lado orientada para usar essa lei em beneficio do meio ambiente, não funciona. Então esse evento é uma grande reunião onde a sociedade civil vai tomar consciência das leis e ajudar para que elas sejam seguidas”, explicou o superintendente.

Quando questionado sobre o que a população pode esperar do trabalho de Sancler pela natureza, o superintendente foi enfático: “a população pode esperar a legalidade. O cumprimento das leis, porque não adiantar ter lei se não tiver atitude. A superintendência hoje esta munida dessas leis e tomando atitudes de cobranças dessas leis. Eu costumo dizer para as pessoas que acabam infringindo algo com a desculpa do tipo: ‘mas eu estou aqui à 20 anos’. Então à 20 anos você está infringindo a lei, a partir de agora não vai mais”.

Já Alfredo Lopes fez questão de destacar a importância de uma meio ambiente bem cuidado para manter aquecido o turismo na cidade: “precisamos ter esse cuidado de preservação e cuidado com o meio ambiente, mantendo nosso verde em segurança e cuidando do que é nosso. As praias são extremamente importantes para nós, pois ela movimenta o Turismo da cidade e dessa forma a nossa economia”.

Carlo Caiado por sua vez destacou os projetos que vem sendo feitos junto com a ajuda fiscalizadora da população: “o meio ambiente tem varias frentes a serem cuidadas. Mas é importante ter a população engajada no assunto. O Termo de Ajuste e Conduta, por exemplo, vem trazendo o Saneamento Básica para algumas regiões que antes não tinham. Além disso hoje estamos na última fase da licitação das Ecobarreiras, também um pedido da sociedade civil organizada”.

Entre os destaques de projetos públicos que nasceram da vontade popular, o secretário de meio ambiente, destacou o trabalho que vem sendo realizado de limpeza da Lagoa de Marapendi, que somando forças com a sociedade, o poder público vem realizando limpezas freqüentes nas encostas da lagoa, o que vem resultando em um ponto positivo para a limpeza da lagoa, que antes estava nitidamente se degradando mais e mais a cada dia.

Em sua primeira participação no Fórum, Egas fez questão de agradecer o convite e parabenizar os representantes comunitários: “acho muito importante o poder publico estar presente nos fóruns debatendo com a sociedade, ainda mais em um espaço como a Barra e o Recreio que possui uma área extensa e ligada a causa ambiental, com diversas ações aqui, como o Adote Rio, que visa a adoção de espaços públicos, aqui muitos moradores adotam essas áreas e é muito importante. Só tenho a agradecer pelo convite e poder mostrar um pouco do trabalho e as demandas”.

A adoção de espaço público foi um ponto forte destacado que mereceu a os aplausos para os moradores da Associação de Moradores de Nova Barra Bonita, que possuem o recorde de locais adotados, totalizando 12 espaços cuidados pela associação. Porém, esse foi o último painel de discussão do dia, antes assuntos como a importância da arborização correta no bairro, foi destacada pelo especialista da área Flávio Telles que trouxe uma questão aos presentes: “por que temos que adaptar as árvores a iluminação das ruas, não seria certo o inverso?”. Além disso, Telles mostrou um panorama de como deveriam ser as cidades e os cuidados na hora de colocar uma árvore nas calçadas.

Os problemas pluviais também foram destaque, mostrando os dejetos jogados e a degradação da fauna e flora local, com jacarés dividindo espaço com o lixo jogado e descartado nos rios, tal como o crescimento indevido das gigogas, entre outros pontos fortes como o crescimento alarmante de insetos e etc.