Fone: (21) 2042-2955 -  redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

O Rio Centro foi, mais uma vez, palco de um dos maiores eventos relacionados à cultura e diversidade do Brasil: a Feira da Providência. Em sua 58ª edição, a organização ocorreu do dia 28 de Novembro até o dia 02 de Dezembro. A programação contou com aproximadamente 200 expositores de todos os cantos do Brasil, e também de outros países. Além disso, os estandes variavam entre gastronomia, moda e artesanato.

A Feira contou também com diversas apresentações. Dentre elas, se destaca o Espaço de Dança e Arte (EDA), promovido por Adriana Torres. A proposta do Grupo é de inclusão na dança. Segundo Adriana, qualquer indivíduo pode dançar, independentemente da idade, do estereótipo e de sua deficiência.

“A gente traz a dança para as pessoas, para esse público de deficientes que vive a margem da sociedade. A dança inclusiva se dá muito mais com a alma do que com a parte física. Estamos participando pela terceira vez da Feira e a sua importância para o nosso trabalho se dá pela visibilidade que temos das pessoas que prestigiam o evento”, afirma Adriana.

Pluralidade representa bem todo este período de atrações. Mamadou Diagne é senegalês e trabalhou como expositor de artesanato, bijuterias e roupas nativas. Para ele a “Feira da Providência permite que seu país seja bem representado no Brasil”. Já no ramo gastronômico, o gaúcho Edilson Ribas vende produtos artesanais e bebidas. Há 20 anos participando da Feira, Edilson fala que a visibilidade proporcionada pelo evento contribui diretamente na manutenção de seu trabalho, que envolve queijos, salames, linguiças e vinhos.

Outro ponto forte que muitos visitantes encontraram no Rio Centro envolve sustentabilidade. A exposição do Puro Brazil, por exemplo, comercializa roupas que são produzidas através de descartes de indústrias têxteis. Uma das organizadores do estande, Eliete Fenato frisa: a Puro Brazil não possui loja física e nem online. A maneira de atingirmos todo o nosso público espalhado por todo o Brasil é através de eventos e feiras de vários gêneros.

Criada em 1960 pelo então Arcebispo do Rio, Dom Helder Câmara, a Feira da Providência acontece de ano em ano. Neste ano de 2018, mais de 75 mil pessoas visitaram o espaço em cinco dias de exposições