O secretário de Infraestrutura, Jorge Arraes, e o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere, deram início, nesta quarta-feira (27/10), às obras de substituição das grades de proteção da ciclovia Tim Maia, no trecho entre a Barra da Tijuca e São Conrado. Nos últimos anos, as grades existentes foram vandalizadas em vários trechos da ciclovia. Por isso, as novas são feitas por um material sem valor comercial para evitar o furto.

– O material que está sendo colocado é resistente. O polímero é uma resina plástica revestida com fibra de vidro. É importante frisar que esse material não tem valor comercial em caso de furto – contou o secretário de Infraestrutura, Jorge Arraes. 

Ao todo, a Prefeitura do Rio vai investir cerca de R$ 4 milhões para a substituição das grades de proteção em um trecho de 5,6km. A previsão é que a intervenção dure quatro meses. Durante o processo de substituição, o trecho será bloqueado para ciclistas e pedestres por medidas de segurança.

– Essa obra de recomposição do gradil era uma demanda da comissão de segurança de ciclismo, que estamos atendendo para devolver esse trecho seguro à população – explicou o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Cavaliere.

As novas grades de proteção são feitas de material composto de polímero reforçado com fibra de vidro, possuem alta resistência e garantem a segurança da população. Na época da inauguração da ciclovia Tim Maia, as grades foram produzidas com alumínio, em função da proximidade com o mar e assim ter uma maior vida útil. Após a falta de conservação e presença do poder público ao longo dos últimos quatro anos, aconteceram consecutivos atos de vandalismo e furtos. A ausência da proteção deixou o local com várias vulnerabilidades, causando riscos para os ciclistas.

Estiveram presentes também os subprefeitos da Zona Sul e da Barra da Tijuca, Ana Ribeiro e Raphael Lima, respectivamente.

 

 

As novas grades são feitas de material composto de polímero reforçado com fibra de vidro e possuem alta resistência – Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

 

 

A obra era uma demanda da comissão de segurança de ciclismo – Marcos de Paula/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro identificou uma página fraudulenta que tenta se passar pelo portal Carioca Digital (carioca.rio) para emissão de boletos falsos do IPTU.

Os criminosos utilizam identidade visual semelhante ao portal oficial com o objetivo de aplicar golpes nos contribuintes que buscam fazer o pagamento das cotas mensais online.

O usuário é direcionado para uma página onde é indicado a preencher o número da sua inscrição predial, o exercício e a parcela que deseja emitir para pagamento. O endereço falso utilizado pelos criminosos é https://iptu.cariocariodigital.org/.

A Prefeitura do Rio, a Secretaria Municipal de Fazenda e Planejamento e a Iplan já adotaram medidas cabíveis para que o domínio seja cancelado e fizeram denúncia na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática.

O único endereço do CARIOCA DIGITAL, PORTAL DE SERVIÇOS DA PREFEITURA DO RIO, é: https://carioca.rio.

A CET-Rio informa que, em virtude da esperada redução no volume de tráfego, na próxima segunda-feira (01/11), véspera do Feriado de Finados, as faixas reversíveis da cidade não vão funcionar.

São elas:

Manhã

– Av. Lúcio Costa;
– Av. Prefeito Mendes de Moraes;
– Av. Niemeyer;
– Av. Gov. Carlos Lacerda (Linha Amarela).

 

Tarde/Noite

– Rua Jardim Botânico.

Equipes da CET-Rio e da Guarda Municipal, com apoio do Centro de Operações Rio, manterão o monitoramento das vias.

A inversão de sentido do Tablado Superior do Elevado das Bandeiras será mantida, funcionando de manhã no sentido São Conrado e à tarde/noite no sentido Barra.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, assinou a “Declaração de Desinvestimento de Combustíveis Fósseis, Investindo em um Futuro Sustentável”, com lideranças climáticas globais, em evento organizado pela C40, nesta terça-feira (26/10). Com o documento, às vésperas da Conferência das Nações Unidas Sobre Mudanças Climáticas, em Glasgow, a capital fluminense reforçou seu compromisso de aumentar os investimentos em soluções climáticas baseadas na economia verde, e cortar os investimentos municipais a empresas de combustíveis fósseis.

A capital fluminense foi a primeira cidade da América Latina a aderir ao compromisso. Glasgow, que receberá a COP26 a partir do próximo domingo, também referendou o documento.

– O Rio está empenhado em alavancar os mercados financeiros na direção certa: justiça climática impulsionada por finanças verdes – destacou Paes.

O prefeito carioca lembrou que, quando presidiu o C40, criou, em 2016, o C40 Cities Finance Facility – intermediário de confiança entre as cidades e o setor financeiro, para impulsionar ações das cidades globais no enfrentamento das mudanças climáticas.

– Hoje, temos cidades, entidades religiosas e diversas organizações se comprometendo a financiar a transição da economia. O Rio tem o prazer de ser a primeira cidade da América Latina a assinar esse compromisso. Estamos comprometidos em alocar recursos no desenvolvimento sustentável, com educação, reflorestamento. Teremos R$ 5,4 bilhões (para investir) em saneamento básico, saúde, mobilidade urbana – destacou o prefeito do Rio.

Com a adesão, a cidade do Rio se somou a outras 1.484 instituições públicas e privadas, de 70 países, que se comprometeram com o desinvestimento de combustíveis fósseis. O evento, on-line, contou com a participação dos presidentes das fundações de filantropia Ford e Ellen MacArthur, além de representantes-sênior do Vaticano e de redes de ação climática.