Em nove semanadas de campanha, o projeto já conseguiu ajudar mais de 39 mil pessoas

O Juntos Somos Mais surgiu quando um grupo de arquitetos decidiu se unir para angariar fundos, alimentos e itens de higiene para pessoas em situação vulnerável. A iniciativa felizmente se espalhou de forma rápida pelo Brasil e hoje conta com mais de 3800 arquitetos e designers envolvidos. 

Há nove semanas o projeto vem recolhendo doações para ajudar pessoas em situação de vulnerabilidade social, acentuada por causa da pandemia de COVID-19. Os números são animadores. No Rio de Janeiro já foram arrecadados R$359.590,00. 7.226 famílias receberam as cestas com as doações. Foram 89,4 toneladas arrecadadas que chegaram para mais de 39 mil pessoas.

A nível nacional, só no mês de abril, o projeto arrecadou R$3.210.862 milhões, que foram usados para ajudar 270 mil pessoas em todas as regiões do Brasil. No período o projeto pôde distribuir, através da plataforma Transforma Brasil e por iniciativa própria, 630 toneladas de alimentos. Os números referentes ao mês de maio ainda não foram contabilizados, mas a expectativa é que sejam tão positivos ou mais dos que os de abril.

“O que começou com pequena ação, logo que o isolamento social começou, com a gente indo pessoalmente ao mercado para fazer as compras, cresceu. É muita gente bacana envolvida. E é com muita satisfação que queremos perpetuar cada vez mais”, explica Carolina Freitas, arquiteta participante do projeto. 

O Juntos Somos Mais Arq não para por aí. Para ajudar o processo de arrecadação de fundos que são revertidos em cestas básicas e kits de higiene e limpeza, o projeto promoveu cinco leilões beneficentes com 100% da renda revertida para a causa nas últimas nove semanas. Os pregões dos lotes A, B, C e D que aconteceram no perfil do projeto no Instagram (@juntossomosmais.arq) arrecadaram juntos R$68.580 mil. O leilão Premium, que aconteceu em https://www.ernanileiloeiro.com.br/, arrecadou R$137.720 mil. Ao todo os cinco leilões juntos arrecadaram R$206.300 mil e ajudaram 4.126 famílias ajudadas.

“O projeto não vai acabar com o fim do isolamento social. É um trabalho que vai se perpetuar. Nossa intenção é continuarmos fazendo todo o possível para ajudar a quem precisa. Inclusive, acabamos de receber o apoio de arquitetos e designers de mais um estado, o Mato Grosso do Sul. Estamos muito felizes com os resultados alcançados até agora”, comemora Paloma Yamagata arquiteta participante do projeto.

Compartilhe

Mais Lidos