No último domingo, 19/12, um time de dubladores se reuniu no UCI New York, em uma sessão exclusiva, junto a fãs do personagem Homem Aranha, para assistir a um dos grandes lançamentos do ano: Homem-Aranha Sem Volta para Casa.

Estiveram presentes no encontro:  Manolo Rey, diretor de dublagem da trilogia, Wirley Contaifer, dublador de Homem Aranha, Lhays Macedo, Duda Espinoza, Fred Mascarenhas, Ana Elena Bittencourt, Sérgio Cantú, Yan Gesteira, Luisa Viotti, Aline Guioli, Jorge Lucas, Philippe Maia, Alexandro Drummond, Felipe Drummond, Taís Feijó, Jeane Marie, Victor Hugo e outros.

 A exibição do filme contou com cerca de 350 ocupando uma das salas do cinema, que ofereceu mimos como pôster do filme, pipoca, guaraná e guloseimas.

No saguão, a alegria foi contagiante, reunindo diversas gerações, desde jovens e adultos, muitos deles vestidos de Homem Aranha, destacando os Cosplays que fizeram a alegria das famílias, posando para fotos, dançando e animando os participantes.

Wirley Contaifer, ator responsável por dar voz ao Homem-Aranha na trama, esbanjava simpatia interagindo com os fãs. Para ele, fazer ações como esta é de suma importância para fãs do cinema, pois aproxima os artistas de apaixonados por filmes, o que faz a comunidade crescer ainda mais.

“É uma emoção sem tamanho. Esse filme tem um significado muito especial para mim e ver todos os dubladores reunidos para prestigiar esse trabalho é incrível. Este é o filme número um da história, escreve o que estou falando”.

Ana Elena Bittencout, dubladora da MJ de Zendaya, também comenta sua experiência: “Durante a dublagem eu surtei, chorei… e agora assistindo ao filme, passei por todas essas emoções de novo. Dublo a Zendaya há muitos anos, crescemos juntas, então estar com ela mais uma vez nesse filme é muito emocionante”.

Também estava presente a atriz Andrea Murucci, dubladora da Tia May de Marisa Tomei. Para a apaixonada por filmes de heróis, este filme superou todas as expectativas.

Outro participante que se reuniu ao time de convidados foi Lhays Macedo, atriz e dubladora. Ela comentou sobre a atração: “Eu fico muito emocionada de poder reencontrar tantos amigos dubladores depois de tanto tempo. E ainda mais para assistir ao filme do meu super herói favorito. O trabalho de todos os dubladores do filme está impecável, a direção do Manolo Rey foi muito cuidadosa e sensível. E o roteiro do filme é de tirar o fôlego! Que momento!”

Ygor Guidoux, dublador e idealizador da Dublacon também estava presente e falou sobre seus sentimentos afetivos ao ouvir os amigos dubladores.

“Este filme traz sensações parecidas com as que sentimos vendo e ouvindo os dubladores. Nossa memória afetiva é acionada e tudo toma uma outra proporção. Foi incrível”.

Policiais militares do Programa BRT Seguro e do Batalhão de Policiamento em Vias Especiais (BPVE) prenderam na manhã desta terça-feira (28/12) dois homens (de 18 e 19 anos) acusados de furtar três celulares e uma bolsa com documentos e pertences. A prisão foi na Avenida Salvador Allende, nas proximidades da estação Morro do Outeiro, em Jacarepaguá.

Os agentes faziam patrulhamento no local, por volta das 10h, quando viram uma perseguição envolvendo duas motos. Os policiais foram na direção e em uma das motos estava a vítima que perseguiu os suspeitos. Aos agentes, ele disse que foi roubado pelos dois homens que estavam em uma moto sem placa.

Ao avistarem os policiais, os dois suspeitos tentaram fugir. Um deles foi detido por agentes do BPVE que passavam pelo local. O outro tentou fugir pela mata e foi preso pelos agentes do programa BRT Seguro. Com os detidos, os policiais encontraram dois celulares e uma bolsa contendo diversos pertences da vítima, como documentos, cartão de crédito e um relógio.

Todos foram levados para a 16ª DP (Barra da Tijuca), onde a ocorrência foi registrada.

A Prefeitura do Rio inaugurou, na manhã do último domingo (19/12), o Parque Oceânico, espaço criado a partir de área revitalizada de aproximadamente 5.440 m2 no Jardim Oceânico. O novo parque urbano contará também com o primeiro parcão da região, um espaço de 1.442 m2 dedicado aos pets. A revitalização do local é resultado de ações integradas da Subprefeitura da Barra da Tijuca com a Secretaria de Conservação, Comlurb, Rioluz e CET-Rio, além de participação da sociedade civil.

A proposta do espaço é que as famílias e visitantes do Jardim Oceânico possam usufruir de todos os atrativos do novo parque juntos. Para isso, a revitalização do espaço inclui mobiliários e brinquedos da Praça Professor Souza Araújo, a colocação de holofotes e  nova iluminação de LED. Também foram realizados reparos no asfalto das vias do entorno, com nova sinalização nas ruas, implantação de golas de árvores e a realocação de equipamentos de ginástica.

– Estamos sempre ouvindo para melhor atender os moradores da região. Foi assim que conseguimos revitalizar uma área abandonada para a implantação do primeiro Parcão no Jardim Oceânico, uma antiga solicitação dos moradores. É muito gratificante entregar um equipamento tão desejado pela população. A criação do Parque Oceânico veio em boa hora, pois revitalizamos uma área bem maior e que não estava sendo utilizada – comemorou o subprefeito da Barra da Tijuca, Raphael Lima.

Entre diversas ações, a Secretaria de Conservação fez a limpeza do monumento Carniça, de Analu Nabuco, que fica na praça; a reforma do deck de embarque e desembarque pelo Canal de Marapendi; e a execução de via de passagem no viaduto sobre a Avenida das Américas próximo ao canal.

– O Parque Oceânico será um grande espaço de lazer não apenas para os moradores do entorno, mas também para quem vive em outros bairros. E as melhorias implementadas vão além, pois facilitam as pessoas a caminharem pela região – disse a secretária de Conservação, Anna Laura Valente Secco.

 

Parcão é o primeiro da região

O novo Parque Oceânico vai  abrigar o primeiro parcão da região. Localizada no começo da Rua Coronel Euríco de Sousa Gomes Filho, bem perto do viaduto, a área, que já foi invadida e depois usada como estacionamento, foi revitalizada por meio de uma parceria público-privada entre a Prefeitura, o restaurante Mocellin Steakhouse e um grupo de moradores que lutavam por um espaço para seus cachorros se divertirem.

O parcão promete virar o novo point dos pets da Barra da Tijuca, com circuito e obstáculos para os cachorros em madeira plástica e pneus, cerca de estrutura de eucalipto com tela galvanizada, bancos produzidos a partir do reaproveitamento de troncos  e pintura artística feitos pela Comlurb.

 

Nova iluminação

Por meio do programa Luz Maravilha, parceria público-privada (PPP) de iluminação pública do Rio, a Rioluz implantou no local nova iluminação de LED, com luzes direcionadas para o parque e para a rua. E três dos postes metálicos foram substituídos por  novos, de fibra, mais duráveis e resistentes.

– A necessidade de um espaço seguro, para que os cães do Jardim Oceânico e seus donos pudessem conviver, já era uma demanda antiga dos moradores do bairro. Com a pandemia, muitas famílias, inclusive a minha, adotaram ou compraram algum pet. De abril para cá, conversei com mais de 200 tutores e todos pediam esse espaço. Que seja o primeiro de outros parcões dedicados aos nossos “aumigos” – sugeriu a moradora Camille Póvoa.

– Somos apaixonados pelo Rio. E investir na sua qualidade de vida é uma honra. É com prazer que cedemos o terreno para a criação desse espaço fantástico que é o  Parcão do Jardim Oceânico. E vamos ajudar a mantê-lo – explicou o dono restaurante Mocellin, Neodi Mocellin.

 

O novo parcão tem um circuito e obstáculos para os cachorros em madeira plástica e pneus – Alexandre Macieira/Prefeitura do Rio

 

Parceria com a sociedade civil

O projeto do Parque Oceânico incluiu a adoção e revitalização completa do Recanto Marapendi. A área de 691,56 m2 foi adotada pelo SOS Lagoas, que contou com a participação de voluntários e crianças do projeto Pé de Gol, do Clube de Regatas do Flamengo, no plantio coletivo de cerca de 190 mudas de árvores nativas para a criação do bucólico bosque arborizado nas margens do canal.

– Áreas no entorno de nossas águas devem sempre ser protegidas. A melhor educação ambiental é permitir e estimular o encontro do cidadão com a natureza. Quem conhece, dá valor e cuida, pois percebe que nosso bem-estar está associado ao contato com a natureza. Assim que conseguimos o aval do subprefeito Raphael Lima e o apoio do Flamengo para o plantio das mudas, projetamos o espaço para ser uma área de convivência e aproximação às lagoas. A união de esforços entre sociedade civil, iniciativa privada e poder público é o caminho para o sucesso – afirmou Cris Queiroga, responsável pelo projeto SOS Lagoas, adotante do espaço.

O ano de 2021 tem sido um ano de desafios para Carolina Abdu. Aos 18 anos, a aluna da 3ª série do Ensino Médio do CEL Intercultural School fez, recentemente, o Enem. E, neste dia 17, na unidade da Barra da Tijuca do colégio, às 17h30, lança seu primeiro livro ‘Quando as palavras ganham vida’, de poesias.

A ideia de se tornar escritora nasceu no colégio, onde estuda há 17 anos:

- Comecei a escrever poesias por causa de um concurso de redações da escola, quando eu tinha 14 anos. Daí para frente comecei a me interessar mais por poesias e passei a me inspirar em poetas, principalmente, modernistas. O número de poesias foi crescendo e decidi que queria guardar as minhas favoritas em um lugar especial e assim, em 2018, surgiu a ideia do livro.

E uma das poesias do livro homenageia o colégio.

- Foi no CEL onde eu cresci e aprendi grande parte do que eu sei. Esse ano estou me formando e em homenagem ao fim desse ciclo incluí no livro um poema que conta minha história no colégio, chama-se "Estações".

A autora criou um perfil no Instagram (@quandoaspalavrasganhamvida) para comercializar o livro, que reúne cerca de 50 poemas, e interagir com os leitores:

- Minha maior expectativa é poder me conectar com mais pessoas.

No livro, Carol deixou algumas páginas em branco para ‘que cada leitor possa expressar seus sentimentos e ideias por meio da arte’.

Embora tenha facilidade para a escrita, a estudante fez o Enem para cursar Engenharia de Computação ou Matemática.

- Achei o Enem muito cansativo, principalmente a parte de Linguagens, mas gostei do tema da redação.