O médico Claudio Marsili, 64, foi morto a tiros na manhã desta terça-feira (19) na Barra da Tijuca, bairro de classe média alta na zona oeste do Rio de Janeiro. Segundo a polícia, o crime aconteceu na avenida Fernando Mattos, onde os agentes já encontraram Marsili sem vida.

Cirurgião plástico, ele tinha um consultório na avenida Antônio Lombardi, também na Barra. Segundo as redes sociais do médico, ele era membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e formado pela UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro).

O caso está sendo investigado pela DHC (Delegacia de Homicídios da Capital). Procurado, o delegado responsável disse que estão sendo feitas diligências e que não iria comentar as linhas de investigação.

Segundo informações do portal G1, o médico teria sido rendido após estacionar o carro. Apesar de ter dado o veículo, os criminosos teria atirado mesmo assim.

De acordo com o Instituto Fogo Cruzado, 22 idosos foram baleados neste ano na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, dos quais oito morreram.

Nas redes sociais de Marsili, internautas deixaram comentários lamentando a morte. "Meu Deus! Sem acreditar nisso! Meus sentimentos a família e amigos! Muito triste", escreveu um internauta.

Em nota, o Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) afirmou estar consternado com a morte do médico.

"Ontem (18/10), nossa categoria profissional celebrou o Dia do Médico, com uma iluminação especial no Cristo Redentor por esta data, e é muito triste receber esta notícia e saber que estamos tão expostos à insegurança e à violência em nossa cidade", afirmou a instituição. "O Cremerj se solidariza com familiares, amigos e colegas de trabalho neste momento de dor".

O programa Luz Maravilha, da Prefeitura do Rio, chegou à Estrada dos Bandeirantes, por meio da RioLuz. Serão cerca de 900 novas luzes brancas instaladas no lugar das amarelas, antigas. A iluminação de LED traz mais segurança e conforto aos motoristas e pedestres da região.

Esta é uma das principais solicitações dos moradores dos bairros de Vargem Grande, Vargem Pequena e Camorim, que ficam dentro da abrangência da Subprefeitura da Barra, e com a Estrada dos Bandeirantes como principal via de locomoção.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente fez, na manhã desta quinta feira (16/10), uma vistoria para embargar obras de dois condomínios construídos ilegalmente em uma área do Parque Estadual da Pedra Branca, em Senador Camará, Zona Oeste do Rio.

Para a segurança dos fiscais da Secretaria de Meio Ambiente, a PM ocupou completamente a comunidade do Morro do Sossego, área dominada por traficantes. Vinte e cinco policiais militares foram mobilizados, além de um blindado e sete viaturas.

O objetivo da ação foi notificar os responsáveis pelos empreendimentos para que as obras sejam paralisadas imediatamente e os danos ambientais ao Parque, reparados. Em caso de descumprimento das obrigações, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, fará as demolições de estruturas de casas, do arruamento e das redes de eletrificação no Caminho do Telégrafo.

As áreas dos dois condomínios têm aproximadamente 45 mil metros quadrados, o equivalente a seis campos de futebol oficiais.

A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) realizou, na sexta-feira (8/10), uma ação de ordenamento e fiscalização na Avenida Olegário Maciel, na Barra da Tijuca. A ação, que contou com o apoio da Guarda Municipal, da Ivisa, da Coordenadoria de Licenciamento e Fiscalização e da Polícia Militar, realizou também a fiscalização de rotina para acompanhar a interdição de uma tabacaria que utilizava indevidamente o terraço do prédio e promovia eventos com aglomeração e música alta.

– Recebemos inúmeras denúncias e reclamações dos moradores sobre esse estabelecimento. Junto com a Seop, foi organizada uma ação de fiscalização com diversos órgãos municipais para verificar o cumprimento da notificação. A interdição do espaço (comunicada nesta semana) aconteceu pela ausência de alvará para música ao vivo e realização de festas. Eles realizaram, no último final de semana, uma festa com caixas de som voltada para a rua, sem nenhuma proteção acústica, o que gerou muito transtorno para os moradores. Vamos seguir fazendo essas ações, para os estabelecimentos entenderem que é preciso estar de acordo com a lei, para manter um relacionamento harmonioso com a vizinhança – disse subprefeito Raphael Lima.

Ainda na sexta-feira, as equipes realizaram uma ação na Estrada do Pontal, número 1417, para verificar outro local alvo de denúncias de som alto e aglomeração, que já foi devidamente notificado e se encontra fechado.

A Subprefeitura da Barra removeu a banca de jornal abandonada que incomodava os moradores do Bosque Marapendi por mais de 10 anos. O equipamento tinha sido instalado irregularmente, sem o critério mínimo de uso da calçada, nas margens da Avenida  Prefeito Dulcídio Cardoso, na altura do número 1.600.

O serviço de remoção contou com o trabalho da Secretaria de Ordem Pública (Seop), da Coordenadoria de Controle Urbano, da Guarda Municipal e da Secretaria de Conservação, com o apoio da Light.

Segundo os moradores, o dono da banca faleceu e desde então, ela estava fechada, dependendo de um suposto inventário. A partir daí, o espaço virou um verdadeiro painel de propaganda, além de atrapalhar a vida dos pedestres. A banca acumulou ao longo desses anos registros de assaltos e agressões, além de impedir a locomoção de cadeirantes e carrinhos de bebê, e obstruir a visão dos veículos que saíam da garagem do Edifício Costa Blanca.

–  Vários subprefeitos não conseguiram tirar esse “trambolho” da nossa calçada, e agora o Raphael Lima conseguiu. Muito obrigada, todos os moradores do entorno do Bosque agradecem. Não tínhamos por onde passar, era perigoso e revoltante ter que passar pela rua – comemorou a síndica do Costa Blanca, Madalena Rodrigues, que há muito tempo vinha lutando por essa remoção ao lado do presidente da Associação Bosque Marapendi (ABM), Afonso Chaves.

A Prefeitura do Rio, por meio do BRT Rio e da Secretaria Especial de Políticas e Promoção da Mulher, informa que, em apoio à campanha Outubro Rosa, será realizada uma ação de conscientização sobre a importância da prevenção do câncer de mama nesta quinta-feira (07/10), na estação Salvador Allende, no Recreio dos Bandeirantes. Das 7h às 12h, uma equipe da Secretaria da Mulher distribuirá folhetos educativos aos passageiros destacando a necessidade de diagnóstico precoce.

Desde o dia 1º de outubro, 50 BRTs estão circulando com o laço rosa, símbolo da campanha Outubro Rosa, no para-brisa. Além disso, em parceria com a RioLuz, a estação Salvador Allende ficará iluminada de rosa à noite até o fim do mês.

Também foi montada na estação a exposição informativa “A mulher e o câncer de mama no Brasil”, elaborada no âmbito do projeto “História do Câncer – atores, cenários e políticas públicas”, uma parceria entre o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Os primeiros relatos da doença foram feitos pelos egípcios e gregos na Antiguidade. Com base em imagens e gravuras, a exposição traça um amplo panorama e fala sobre os primeiros passos da cirurgia, a evolução das formas de tratamento e os meios diagnósticos existentes atualmente. A mostra poderá ser vista pelos passageiros do BRT até o fim do mês.

O câncer de mama ocupa a primeira posição em mortalidade por câncer entre as mulheres no País, com taxa de mortalidade ajustada (que mede os riscos em termos percentuais) por idade, pela população mundial, para 2019, de 14,23 por 100 mil habitantes. As maiores taxas de incidência e de mortalidade estão nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Somente em 2021, o INCA estima que mais de 66 mil mulheres terão câncer de mama no Brasil. Esses dados mostram a importância de a mulher estar informada e atenta a qualquer alteração suspeita nas mamas.