O serviço itinerante do Procon Carioca, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, segue com a ação itinerante em bairros de toda a cidade. Nesta quinta (9/6) e sexta-feira (10/6) a equipe estará Praça Professora Camisão, na Freguesia, em Jacarepaguá. O atendimento será realizado, nos dois dias, das 10h às 15h. Os consumidores interessados em registrar reclamações ou esclarecer dúvidas sobre seus direitos devem levar cópia dos documentos pessoais, além dos comprovantes de compra do produto ou do serviço contratado, como boletos e notas fiscais.

– O atendimento nos bairros em dois dias amplia ainda mais as oportunidades de atendimento ao cidadão. Assim ele tem mais tempo pode separar a documentação e procurar o instituto para buscar a solução de suas demandas. Elas serão encaminhadas pela equipe, garantindo aos consumidores uma solução satisfatória – explica Igor Costa, diretor executivo do órgão.

Durante o atendimento, as queixas serão encaminhadas diretamente às empresas, que terão um prazo de dez dias para solucionar as questões.

Representantes da Light também estarão presentes no local, para atendimento ao consumidor.

– A equipe estará em mais uma edição do Procon Carioca nos bairros, para garantir que muitos problemas do cidadão sejam resolvidos de maneira justa e rápida, respeitando as normas do Código de Defesa do Consumidor, como deve ser – afirma Renato Moura, secretário de Cidadania.

O Procon Carioca, órgão vinculado à secretaria Municipal de Cidadania, notificou a empresa Águas do Rio 1 SPE S.A  a apresentar informações sobre o rompimento de tubulação, na última quinta-feira (2/6), na Avenida Borges de Medeiros, na Zona Sul da cidade. O incidente causou um imenso vazamento de água e foi necessário interditar a avenida. A concessionária tem o prazo de cinco dias para comparecer à sede do Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor, no Estácio, com as respostas das perguntas enviadas.

Tendo em vista a competência do Procon Carioca de atuar preventiva e repressivamente na contenção de eventuais violações aos direitos dos consumidores, a fornecedora deve esclarecer e informar o seguinte: a Águas do Rio é responsável pela manutenção e reparo da tubulação que rompeu? O que causou o incidente? A Companhia realizou reparo na área em que aconteceu o incidente? Levou quanto tempo para conclusão do serviço? Quais foram as consequências deste incidente para os consumidores? Houve necessidade de interrupção do fornecimento de água para alguma região do Rio de Janeiro? Caso sim, quais regiões e quantos consumidores? A distribuição de água levou quanto tempo para ser normalizada? A Companhia adotou alguma medida para mitigar ou reparar os danos causados aos consumidores? Quantas reclamações foram registradas nos canais de atendimento da Companhia?

O diretor executivo do órgão, Igor Costa, reforça que os consumidores devem procurar sempre o Procon Carioca.

– Tendo problemas na aquisição ou prestação de serviços, todos têm direito a reclamar e podem procurar uma unidade do Procon Carioca para esclarecer dúvidas e buscar seus direitos – afirmou.

O serviço itinerante do Procon Carioca, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania, segue com a ação itinerante em bairros de toda a cidade. Nesta quinta (9/6) e sexta-feira (10/6) a equipe estará Praça Professora Camisão, na Freguesia, em Jacarepaguá. O atendimento será realizado, nos dois dias, das 10h às 15h. Os consumidores interessados em registrar reclamações ou esclarecer dúvidas sobre seus direitos devem levar cópia dos documentos pessoais, além dos comprovantes de compra do produto ou do serviço contratado, como boletos e notas fiscais.

– O atendimento nos bairros em dois dias amplia ainda mais as oportunidades de atendimento ao cidadão. Assim ele tem mais tempo pode separar a documentação e procurar o instituto para buscar a solução de suas demandas. Elas serão encaminhadas pela equipe, garantindo aos consumidores uma solução satisfatória – explica Igor Costa, diretor executivo do órgão.

Durante o atendimento, as queixas serão encaminhadas diretamente às empresas, que terão um prazo de dez dias para solucionar as questões.

Representantes da Light também estarão presentes no local, para atendimento ao consumidor.

– A equipe estará em mais uma edição do Procon Carioca nos bairros, para garantir que muitos problemas do cidadão sejam resolvidos de maneira justa e rápida, respeitando as normas do Código de Defesa do Consumidor, como deve ser – afirma Renato Moura, secretário de Cidadania.

Na manhã desta terça-feira (07/06), a equipe da Parques e Jardins promoveu o plantio de oitis na Rua Comandante Vergueiro da Cruz, na Penha. A engenheira florestal Priscila Marinelli, assistente de arborização da Parques e Jardins, explicou que os oitis são muito usados na arborização urbana pois suas folhas possuem uma película que as protege da poluição típica de qualquer cidade. Os oitis também são muito usados para paisagismo, pois permitem diversos desenhos de corte com as copas.

Os oitis plantados hoje na Penha vieram de Minas Gerais. A cidade do Rio de Janeiro não produz ainda suas próprias árvores urbanas, tendo que importá-las de Minas e São Paulo. Com isso em mente, o corpo técnico da Parques e Jardins realizou o projeto do viveiro de árvores urbanas da cidade – o Árvores do Amanhã, que será inaugurado nesta quinta-feira (09/06) em Guaratiba, também como parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente.

Plantar as próprias árvores, ao invés de comprá-las de estados vizinhos, permitirá aos técnicos de arborização da Parques e Jardins planejar o plantio de vegetais maiores, o que aumentará a taxa de sobrevivência das árvores plantadas. Para que uma muda cresça é necessário que ela tenha um tamanho mínimo que nem sempre é possível nas mudas importadas. Os caminhões que trazem as mudas de viveiros paulistas e mineiros preferem trazer mudas menores para ter ganhos de escala.

A meta da Fundação Parques e Jardins é plantar 8.000 árvores em 2022, principalmente nos bairros das zonas norte e oeste – onde há maior déficit arbóreo. Essa política ajuda a diminuir a desigualdade ambiental no Rio de Janeiro.