O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, negou reajuste de pedágio à concessionária que administra a Linha Amarela. A tarifa para carros de passeio está em R$ 7,20 e a Prefeitura tenta barrar cobrança em um dos sentidos.

O aumento do valor é previsto em contrato e sempre aconteceu no primeiro dia do ano. No entanto, a prefeitura informou oficialmente que não há previsão.
Este é mais um capítulo na briga entre Crivella e a concessionária, que cresceu nas últimas semanas. No dia 20 dezembro, a prefeitura suspendeu a cobrança do pedágio no sentido Fundão. A Justiça derrubou a decisão no dia seguinte.

A prefeitura alega ter descoberto que a Lamsa cobrou até 60 vezes mais por serviços realizados na via expressa. Segundo a administração municipal, a suspensão do pedágio seria por 19 meses.

A Lamsa repudiou o chamou de “atitude unilateral e irresponsável da Prefeitura do Rio”. A concessionária informa que o contrato de concessão prevê reajuste anual da tarifa do pedágio com base no IPCA-E, índice de inflação oficial calculado pelo IBGE. A concessionária acrescenta que cumpre rigorosamente o contrato de concessão.