JORNAL DA BARRA - redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

Por Gabriel Moses

A poluição do meio ambiente é um tema antigo, mas bastante atual. Na natureza, o lixo não tem espaço. Com esse lema, grupos como o SOS Lagoas e Horta do Vinil se levantam, através de um trabalho voluntariado, para limpar as praças, o verde e as lagoas da Barra da Tijuca. No último sábado (16), tanto o SOS como a Horta estiveram em ação. Ambas trabalharam na limpeza do Canal Marapendi.

A revitalização de áreas poluídas é o principal foco dos trabalhos. No SOS, o diretor da Câmara Comunitária, Luiz Edmundo, falou sobre o acúmulo de lixo na região: “nossa primeira tentativa é fazer uma limpeza da área, tirar todo lixo, e lixo é um negócio assustadoramente grande aqui. Em outros trechos que passamos, em coisas de 20 metros,  a gente tira tonelada de lixo. É impressionante o que jogam por aí.”

Durante a ação, além de recolher lixos jogados na mata e na lagoa, os voluntários do SOS fazem o plantio de mudas nativas. Durante a manhã, uma van da educação ambiental da prefeitura também esteve presente, onde trouxe um teatro para a criançada presente no local. Posteriormente à ação, Edmundo projeta: “Depois disto, a ideia é que cada condomínio vizinho ajude a manter, por que é o quintal de muita gente. Faz muita diferença você ter um quintal bonito, limpo e seguro. Queremos dar um upgrade na região e melhorar a qualidade de vida de todos”.

Moradora do Ocean Front, na Avenida Lúcio Costa,  Patrícia Donato, de 36 anos, comentou sobre a importância do evento ecológico no Canal: “a ação é muito relevante para conscientizar todo mundo, de que a gente tem que ter mais carinho com a área que a gente mora. Temos poucos acontecimentos em prol do meio ambiente no Rio. Aqui a gente bota a mão na massa”. Mãe do Joaquim, de oito anos, e Francisco, de seis anos, Patricia ressalta a participação dos pequenos durante o dia: “acredito que as crianças irão levar toda uma experiência e um aprendizado muito grande, e eles poderão passar aqui todos os dias e poderão dizer que ajudaram a plantar tudo isso aqui”.

Também no sábado, o Horta do Vinil realizou o Primeiro Festival da Sustentabilidade na Praça. O Festival ocorreu como forma de resistência à possível venda da Praça Poliesportiva do Parque das Rosas, que possui  sete mil m².

O Festival contou com mais de 12 horas de programação cultural, ecológica e artística. Aberto a todo o público, a Horta do Vinil contou com uma ajuda 100% voluntária. Além da limpeza da área, foram realizadas oficinas de mecânica de bike, yoga, meditação, aula de zumba, discotecagem, arte de grafite, construção de lixo com PET, cine agroecológico, café comunitário, quentinhas veganas, entre outros.  Na parte da manhã, também foi oferecido ao público um café comunitário.

Líder da Horta do Vinil, Maria Cecília diz que o propósito do Festival é ocupar a Praça com ações coletivas para o bem da comunidade.

“Nos reunimos  em conjunto para oferecer opções públicas e comunitárias de diversão, lazer e saúde, onde não envolvemos, necessariamente, consumo. Buscamos estar sempre em contato com a natureza. E que as pessoas venham para a rua. Que elas possam ocupar as áreas públicas, fazendo o que quiserem”, frisou Cecília.

O meio-ambiente sai como destaque nestes projetos. A ideia é que haja menos acúmulo de lixo, e mais verde e vida na Barra da Tijuca.