Redação

A Secretaria de Ordem Pública (Seop) interrompeu três eventos irregulares neste fim de semana, dias 21 e 22, nos bairros de Campo Grande, Vila Valqueire e Barra da Tijuca.

Na noite de domingo, a Seop encerrou uma festa clandestina que reunia cerca de 500 pessoas no Espaço Nossa Esquina, na Estrada do Monteiro, em Campo Grande. No local, os agentes flagraram as pessoas aglomeradas e sem uso de máscara de proteção facial. O estabelecimento foi interditado pela Vigilância Sanitária.

No sábado, dois eventos foram mapeados e interrompidos no Bar Bela Marina, na Barra da Tijuca, e no Barril 8000, em Vila Valqueire. Nos dois locais os agentes flagraram pessoas aglomeradas em desacordo com as medidas de proteção à vida que estão vigentes na cidade. Os dois estabelecimentos foram interditados pela Vigilância Sanitária.

Entre a noite de sexta-feira, dia 20, e a madrugada desta segunda-feira, dia 23, foram registradas 73 infrações sanitárias (incluindo multas aplicadas a pessoas flagradas sem máscara de proteção facial e a bares e estabelecimentos por descumprimento das regras contidas em decreto municipal) em toda a cidade. Desde o início do ano a Secretaria de Ordem Pública encerrou 161 festas e eventos clandestinos.

As fiscalizações acontecem em comboios que contam com agentes da Seop, Guarda Municipal e Vigilância Sanitária, além do apoio da Polícia Militar, nos pontos com incidência de denúncias de descumprimento das medidas de proteção à vida e em locais mapeados pelo setor de inteligência.

Redação

A Prefeitura anunciou a chegada dos programas Bairro Maravilha e Luz Maravilha a bairros da Zona Oeste. Neste domingo (22/08), equipes das secretarias municipais de Conservação, Fazenda, Infraestrutura e Esportes e de órgãos como Comlurb e Rioluz acompanharam o prefeito Eduardo Paes e conferiram de perto os pedidos dos moradores dos bairros de Realengo, Padre Miguel, Bangu, Senador Camará e Santa Cruz. Além disso, as equipes  irão verificar as demandas de limpeza de áreas públicas e as podas de árvores, entre outras.

Na primeira visita, na comunidade do Fumacê, em Realengo, Paes anunciou que a Prefeitura fará os estudos para a realização do Bairro Maravilha no local, com melhorias de urbanização, o projeto Rio em Forma, para fomentar o esporte, e a reforma da quadra esportiva. Ainda em setembro será implantado o programa Luz Maravilha, com a instalação de iluminação em LED no bairro.

Na Vila Vintém, em Padre Miguel, o prefeito comunicou a abertura de licitação para a instalação da primeira etapa do programa Bairro Maravilha, com obras orçadas em R$ 20 milhões, além da implantação do Luz Maravilha na segunda parte da localidade. Uma primeira área da Vila Vintém já conta com o programa. A Prefeitura também vai procurar um terreno para a construção de uma creche na região.

No sub-bairro Sandá, em Bangu, três iniciativas foram divulgadas: obras do programa Bairro Maravilha, instalação de iluminação em LED e reforma de uma praça.

– É uma loucura estarmos no século XXI em lugares sem esgoto, pavimentação e drenagem. Vamos fazer Bairro Maravilha e ainda trazer iluminação a Led. Agora iniciamos o processo de licitação – afirmou o prefeito, durante visita à comunidade do Chuchuzal, em Senador Camará.

Em Santa Cruz, Paes foi nas comunidades da Greenvile, Barreira e Prado Junior, que vão receber obras de asfalto e saneamento com o Bairro Maravilha e iluminação em Led por conta do programa Luz Maravilha.

Ao lado do prefeito, estiveram presentes os secretários de Fazenda, Pedro Paulo; de Infraestrutura, Jorge Arraes; de Conservação, Anna Laura Secco; e de Esportes, Guilherme Schleder; os presidentes da Rioluz, Bruno Bonetti, e da Comlurb, Flávio Lopes.

– Colocamos as finanças em ordem e agora vamos poder começar a realizar as obras necessárias para a população – disse o secretário Pedro Paulo.

Redação

A Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio do BRT Rio, reabriu a Estação Benvindo de Novaes, no corredor Transoeste, nesta sexta-feira, 20 de agosto de 2021.

A operação no local ocorre normalmente para embarque e desembarque de passageiros.

“Na região da Barra da Tijuca e do Recreio dos Bandeirantes já foram reabertas as Estações Nova Barra, Guiomar Novaes, Tapebuias e Bosque Marapendi e agora a Benvindo de Novaes vem atender um fluxo de passageiros significativo para o sistema de transporte. No projeto de reforma para reabertura dos espaços são levados em conta problemas graves no sistema, como depredação e evasão (calote) e pontos considerados frágeis no modelo anterior foram mudados”, detalhou o subprefeito Raphael Lima.

Já dizia a música que ‘A amizade nem mesmo a força do tempo irá destruir’. No caso da psicóloga Maria Lucia Moreira e da paisagista Paola Polezel, da Rarish, a maneira de homenagear uma grande amiga falecida em junho, de câncer, aos 42 anos, foi através de um gesto de amor e, também, ecologicamente exemplar: plantando uma orquídea.

- Em junho, no meu aniversário, ganhei uma orquídea. Aí, pensei em fazer uma homenagem a esta grande amiga, que tinha falecido alguns dias antes. Nossa amizade não parava na escola, éramos uma verdadeira família, íamos a festas, Natal, Réveillon. Como nossa amizade começou no CEL (Intercultural School), resolvi plantar a orquídea ali – recorda Lucia.

As amigas se conheceram no colégio, já que as filhas estudavam no CEL. Aliás, a Maria Luíza, de 16 anos, filha de Maria Lucia, é aluna da escola desde os 2 anos e meio de idade. Atualmente, ela está no 2º Ano do Ensino Médio.

- Também plantamos uma em homenagem a minha filha, que sempre foi muito feliz no CEL. Então, as duas orquídeas estão lá – explica Lucia, para quem a Rua Jornalista Henrique Cordeiro, onde mora e está localizado o colégio, tem um grande significado sentimental:

- Vim da Tijuca para a Barra em 1992, e foi nesta rua o meu primeiro apartamento. Minha filha nasceu aqui na Barra, e o CEL é minha segunda casa – acrescenta a mãe de Maria Luiza.

A ideia da homenagem da psicóloga foi ao encontro do projeto que Paola desenvolve desde junho: Rua Florida, bairro feliz .

- É um trabalho de formiguinha que conta com a doação de orquídeas para decorar as árvores da rua JHC, em princípio. A paisagista Paola passou a receber de toda vizinhança, dizendo para as amigas: 'me dá que eu coloco nas árvores, cuido e, em pouco tempo, tudo vai ficar exuberante. Ganhou orquídeas? Após a florada, doe para o projeto ao invés de deixá-las em casa. Temos tantas ruas bonitas que nos servem de exemplo, por que não cuidar da nossa?' – questiona Paola, responsável por vários projetos paisagísticos no Rio de janeiro e pelo paisagismo do Estrela do Mar .

Se depender das amigas, não faltarão orquídeas e solidariedade no entorno do CEL.