Fone: (21) 2042-2955 -  redacao@jornaldabarra.com.br

Pin It

Qual a fronteira da criatividade e da inovação? Onde estão os melhores talentos não há limites. Na última quinta-feira (8), A Globo deu início a uma nova era na gestão e produção do entretenimento com a inauguração de três novos estúdios, no Rio de Janeiro, ampliando o maior complexo de produção de conteúdo da América Latina – os Estúdios Globo. Em uma área construída de 26 mil m², o projeto foi desenvolvido a partir de um novo conceito de produção, que aproxima a dramaturgia das grandes produções internacionais e reúne o que há de mais moderno e avançado na indústria audiovisual do mundo. Com a inauguração, os Estúdios Globo passaram a ocupar uma área total de 1,73 milhão de m2, com 13 estúdios de gravação que totalizam 12,5 mil m2, ampliando a sua capacidade de produção de novelas, séries, minisséries, realities, formatos originais, programas de humor e variedades.

“Nessa era de transformações que vivemos, não há quem na indústria de mídia não prenda a respiração diante do que vem pela frente. Alguns se amedrontam e ficam paralisados. Outros seguem adiante, mas como se estivessem de olhos fechados. A tradição do Grupo Globo, em toda a sua existência e diante de todas as revoluções que enfrentou, foi sempre outra: acolher o novo com otimismo e coragem, tendo como propulsor a reunião dos melhores talentos, a aposta enfática na qualidade e a atitude de dar os passos com a urgência que a situação requer, mas com a responsabilidade que o desejo de progredir exige”, declarou Roberto Irineu Marinho, presidente do Conselho de Administração do Grupo Globo, na solenidade oficial de inauguração, em que também estiveram presentes os acionistas João Roberto Marinho e José Roberto Marinho, seus familiares, além de elenco e executivos das empresas Globo.

Entre pesquisas e obras, o projeto levou cinco anos para ser concluído. Em um investimento de mais de R$ 200 milhões, as novas instalações são uma comunhão do que há de melhor na indústria audiovisual com a expertise Globo, que desenvolveu, in house, soluções inovadoras no mercado mundial. O redesenho de processos de gestão e produção, aliados aos novos padrões de tecnologia, pretendem trazer maior flexibilidade para a produção de conteúdo da Globo.

“Eu vi a emoção e o sonho nos olhos das pessoas que estavam fazendo isto aqui. E é isso que a gente é: nós somos pessoas que construímos sonhos. Sonhos que geram experiências emocionais em outras pessoas. Porque essas empresas trabalham com sonho, trabalham com emoção. E, no nosso negócio, sem sonho e sem emoção, a gente não anda. Eu queria fazer uma homenagem às pessoas que fizeram isso aqui, às pessoas que estão fazendo esses sonhos todos os dias, e dizer que a vista que a gente tem depende da montanha que a gente sobe. E a Globo não tem medo de altura”, afirmou Jorge Nóbrega, presidente executivo do Grupo Globo.

A ampliação dos Estúdios Globo é considerada uma conquista não só da empresa, mas da cultura brasileira. Em um complexo que já conta com produção média anual de cerca de 3.000 horas de entretenimento, os estúdios possibilitarão à Globo ampliar ainda mais a sua capacidade de produção, trazendo novas as possibilidades para o desenvolvimento de seus talentos.

“Eu vejo páginas em branco ao invés de paredes. Páginas onde serão escritas emoções, que sentiremos e faremos o brasileiro sentir, onde quer que ele esteja. Onde alguns veem uma enorme sala equipada com o que há de mais avançado em tecnologia, eu vejo as obras que vamos produzir aqui. Novelas, séries, histórias vivas que vamos lançar a partir daqui para encantar o mundo e levar o talento brasileiro, a cultura brasileira, a conquistar ainda mais o mundo. Aqui, nós faremos o brasileiro se emocionar um pouco mais, sorrir um pouco mais, viajar um pouco mais no universo criado, interpretado, ambientado, dirigido, iluminado por nós... por todos nós”, finalizou Carlos Henrique Schroder, diretor-geral da Globo. 

A inauguração

Durante a tarde, uma plateia formada por colaboradores, clientes, parceiros e jornalistas pode acompanhar mesas redondas sobre indústria criativa, cultura e inovação, transmitidas ao vivo pelas redes sociais oficiais da Globo. Com mediação de Pedro Bial e Aline Midlej, os debates contaram com nomes da indústria audiovisual – como George Moura, Luisa Lima, Andrucha Waddington, Caio Gullane, Manuela Dias, Mauro Mendonça Filho, Andrea Barata Ribeiro e Rodrigo Teixeira – e palestrantes que vão tratar, sob diferentes perspectivas, de futuro, inovação, criatividade e cultura – como os neurocientistas Sidarta Ribeiro e Suzana Herculano-Houzel, a atriz e diretora Bia Lessa e o presidente do hospital Albert Einstein, Sidney Klajner. O dia termina com uma grande celebração, embalada por um show de Caetano Veloso e os filhos Moreno, Zeca e Tom Veloso, além de DJs convidados.

Os Estúdios Globo em números
• Área total do complexo: 1,73 milhão de metros quadrados
• Área total construída do complexo, após os novos estúdios: 192 mil m²
• 13 estúdios de gravação totalizando 12,5 mil metros quadrados
• Até 15 mil pessoas circulando por dia

Sobre o MG4
• 3 novos estúdios, de 1.500 m² cada um, totalizando 4.500 m² de área últil
• 26 mil m² de área construída.
• Gleba cenográfica (área externa para gravação integrada) de 4mil m²
• Portas acústicas de 8X6m
• Projeto de 5 anos
• Média de 500 profissionais envolvidos por mês
• 700 empregos diretos gerados durante o período das obras
14 mil novas mudas replantadas
• 2 fossos de 70m² cada
• Usina solar de 4.500 m² e geração de 1,05 MM KW no primeiro ano