Pin It

As consequências do temporal que aconteceu na última quarta-feira (6) ainda não tiveram fim. Além das inúmeras árvores caídas, falta de luz em diversos bairros, alagamento e fechamento de vias, as favelas da Rocinha e Vidigal continuam em situação de emergência. 

Na Avenida Niemeyer, uma encosta deslizou sobre um ônibus e duas pessoas morreram. Na Rocinha e no Vidigal, outras duas foram vítimas fatais ao serem carregadas pela água da chuva. As comunidades estão cheias de lama e famílias perderam tudo. A situação no Vidigal é de alto risco, pois uma enorme pedra ameaça deslizar. 

No momento, está sendo feito um trabalho de coleta de água, alimentos não perecíveis, materiais de primeiro socorros, produtos de higiene pessoal e de limpeza para ajudar os moradores mais necessitados. 

Para quem deseja ajudar os moradores da Rocinha, os pontos de apoio são: Primeira Igreja Batista da Rocinha, na Estrada da Gávea 436; e a Rocinha Surfe Escola, na Rua Bertha Lutz, 84.

Os pontos de apoio para as vítimas do Vidigal são: Casa da Mãe da Roberta Rodrigues, na Av. Presidente João Goulart 575; Associação de moradores do Vidigal, na Av. Presidente João Goulart 737; Cruz Vermelha Brasileira, na Praça da Cruz Vermelha 10/12; e a Igreja Assembleia de Deus, ao lado da Associação de moradores.