A decisão mais acertada da sua vitoriosa trajetória política foi pular fora do PSC e sair atirando. A sua campanha estaria contaminada pela atuação do Pastor Everaldo Pereira, que tendo colocado a bordo da sua sigla o Jair Bolsonaro abriu uma rodada de negociações escondido da sua principal estrela. Queria Bolsonaro na sigla sem seguir a linha de transparência que ele exigia. Em vídeo lançado no youtube em 21 março de 2017, Jair fala, ao lado do filho Flávio Bolsonaro, sobre seu desconforto com o Pastor Everaldo. Palavras duras que ajudaram a salvar sua campanha. Mais uma vez Bolsonaro acertou em cheio.

Vejam o desabafo de Bolsonaro e as suas revelações neste histórico vídeo: “e essa confusão toda comigo aqui no PSC, no meu partido atual (2017), começou exatamente porque o presidente do meu partido foi ao Maranhão pessoalmente e negociou, sabe-se lá o diabo e o capeta sabe o que, que é que o Pastor Everaldo foi lá negociar junto com o capeta. Lá o Flávio Dino, apoiou o PCdoB do Maranhão. Dá para entender?

PSC, Partido Social Cristão, o peixinho, partido da família, partido de direita. Está de brincadeira né? Eu confesso que eu havia feito um acordo com ele, de conduta, termo de conduta. Para mim vale o “fio do bigode”. O erro meu foi confiar na palavra dos outros.

A capetada, eu sou obrigado a confiar porque, para eu buscar algo na política eu tenho que ter um partido, e ele deu a palavra para mim. Partido de direita, de família, para respeitar o próximo e você sabe tudo isso aí. E aí na calada da noite, o cara vai para São Luís do Maranhão e faz um acordo com Flávio Dino do PCdoB, que é o governador lá. Sacaneou. Gente que acreditava em mim de São Luís do Maranhão. Sacaneou. E tem um vídeo do garoto lá que vê o candidato a vereador por ocasião das convenções, imagina a convenção, PCdoB e PSC. Que vergonha! Esse garoto com a bandeira na mão, com a minha camisa, com a bandeira verde e amarela e a plateia toda com a bandeira vermelha”.

Bolsonaro irritado olha para Câmera e dispara: “ Pastor Everaldo, que vergonha! Que vexame! Tu está agora citado na Lava-Jato, seis milhões de reais, eu não vou entrar em detalhes. Que vergonha que é essa política brasileira, meu deus do céu! Que vergonha, que vexame!”

Se tivesse permanecido no PSC sua trajetória até o Planalto estaria contaminada pela legenda partidária e pelas atitudes do Pastor Everaldo, que o próprio candidato perpetuou no vídeo: “e eu acredito na palavra dos homens e ainda mais na palavra do homem que diz que tem deus no coração. Pode ter tudo no coração, mas deus não tem. Porque a mesma patifaria, a mesma coligação, foi feita em Curitiba, com o PCdoB. ‘Ahhh’ pelo amor de deus, o que é isso! O mínimo de dignidade, de vergonha na cara e eu levando porrada de tudo quanto é lado! Porrada, porrada e porrada o tempo todo! É só calúnia e mais calúnia!”

Como se estivesse profetizando, o Capitão foi coerente com o destino que naquele vídeo apontou. Cumpriu o que prometeu. Finalizando, ao lado do filho Flávio, hoje senador eleito, que derrotou o próprio Everaldo nas urnas ele antecipou: “e eu não posso mudar de partido porque pela lei eleitoral, eu perco o mandato! Tem que esperar a janela de março ou a criação de um novo partido ao longo do caminho. Se é que o TSE, o pessoal sabe que eu posso mudar de partido de uma hora para outra né, até em um partido pequeno, com zero televisão e zero fundo partidário, se é que o TSE vai deferir ou vai botar em pauta a criação de um novo partido”.

Assista o vídeo: https://www. youtube.com/watch?v=vgDfB0Kn_rI